“A gente lamenta as falas do presidente”, diz Romero Albuquerque em nova crítica ao Governo Federal

Deputado estadual também lembrou que o Brasil está há quase 20 dias sem ministro da Saúde

Atendendo ao pedido de um apoiador, o presidente Jair Bolsonaro fez uma declaração lamentando o número de mortes pelo novo coronavírus no Brasil. Suas palavras, no entanto, causaram polêmica. Bolsonaro afirmou que as mortes eram destino de cada um. Para o deputado estadual Romero Albuquerque, o presidente “há muito tempo vem dando provas de que conduz um governo insensível”.

O parlamentar também questiona o fato de o Brasil não ter alguém ocupando efetivamente o cargo de ministro da Saúde desde o pedido de demissão de Nelson Teich, há aproximadamente 20 dias, e acusa o presidente de ampliar o prejuízo à imagem do Brasil no exterior. Romero é presidente da Comissão de Assuntos Internacionais na Assembleia Legislativa de Pernambuco.

“O Brasil acostumou-se a nadar contra a corrente. Esse cenário tem um único agente: o próprio Jair Bolsonaro, que insiste em mostrar ao mundo que trabalha ‘dessa forma aí’ e que não mede as consequências de agir como um estorvo. A pergunta é: estamos preparados para as consequências das ações atrapalhadas do governo? A gente lamenta as falas do presidente”, critica.

O Brasil já registra 31.999 mortes. Albuquerque já havia feito outras críticas ao presidente da República. A insistência do chefe da nação em minimizar os danos da pandemia e incentivar as pessoas a seguirem uma vida normal, contrariando recomendações de entidades e profissionais de Saúde do mundo todo, tem incomodado o deputado.

“Bolsonaro travou uma luta contra governadores e prefeitos que determinaram o distanciamento social. Se todo o planejamento e cumprimento tivessem sido incentivado pelo presidente, talvez não precisássemos chorar mais de 30 mil mortes. Me impressiona e me revolta que o presidente relativiza mortes e joga toda essa dor na conta do destino. Não foi o destino que causou todas essas mortes, mas a política omissa!”, dispara.