Artesãos do Recife associados ao Prodarte dobram faturamento na Fenearte 2022

Foto: Rodolfo Loepert/PCR


Com aumento de 168% em comparação a 2021, o faturamento dos trabalhadores vinculado ao programa da Prefeitura do Recife ultrapassou R$ 24 mil em vendas, nos 12 dias do evento

Em 12 dias de exposição na 22ª Feira Nacional de Negócios do Artesanato (Fenearte), os artesãos associados ao Programa de Apoio ao Desenvolvimento do Artesanato (Prodarte), da Prefeitura do Recife, tiveram um faturamento de mais de R$ 24,8 mil. O valor representa um aumento de 168% na comparação do que foi arrecadado na edição de 2021. O programa da Prefeitura teve um estande exclusivo para os trabalhadores em todos os dias da maior feira de artesanato da América Latina, que ocorreu entre os dias 6 a 17 de julho, no Centro de Convenções.

Para o artesão Cristiano Joaquim, de 40 anos e morador do bairro da Boa Vista, participar da feira é sempre uma grande oportunidade de incrementar as vendas. “Eu trabalho com bijuterias artesanais há 20 anos e meu produto é bem vendável. A iniciativa do Prodarte sempre nos ajuda muito”, comenta o profissional que, através do programa, já expôs seus produtos cerca de quatro vezes na Fenearte.

As inscrições dos artesãos para o processo seletivo ocorreram entre os dias 20 e 22 de junho e aprovaram oito trabalhadores de diversas áreas como entalhe em madeira, decoração, confecção, bijuteria e linhas criativas. O objetivo da iniciativa é gerar mais oportunidades de negócios e contemplar todos os profissionais selecionados, portanto o Prodarte dividiu em dois grupos de quatro pessoas a cada seis dias de feira.

A artesã Sarusa Mendes, de 38 anos, participou pela primeira vez da Fenearte e garante que a experiência superou suas expectativas. “O espaço é uma vitrine. Para mim, foi ótimo desde a possibilidade de expor meus produtos e até trocar contatos com as pessoas e possíveis clientes. Espero participar das próximas edições”, relata a profissional. Sarusa trabalha com roupas tingidas há 3 anos e teve um faturamento médio total de R$ 5 mil, expondo suas camisas de tie dye durante seis dias.

A secretária de Trabalho e Qualificação Profissional do Recife, Adynara Gonçalves, ressalta que a iniciativa da Prefeitura tem a finalidade de gerar oportunidade para o setor de artesanato e ainda valorizar a cultura local. “Nossos artesãos atendidos pelo Prodarte puderam mostrar suas obras para mais de 200 mil visitantes e incrementar sua renda. O objetivo do nosso programa é cada vez mais buscar espaços de inserção que potencializem as vendas desses profissionais”, conta.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.