Coluna Fala PE – Família Coelho abre bases para Anderson consolidar nome para senado

By 26/05/2021 - 00:00ColunaFalaPE

Uma nuance passou despercebida em meio às movimentações dos pré-candidatos oposicionistas no final de semana passado. Olhando para os municípios onde o prefeito Anderson Ferreira (Jaboatão dos Guararapes) visitou, vemos que várias das lideranças em questão apoiam o senador Fernando Bezerra Coelho, e, consequentemente, seu filho, o gestor de Petrolina, Miguel Coelho. Claro que esse “tour” dos irmãos de Jaboatão pelas bases dos Coelho não aconteceria sem o aval das lideranças sertanejas.

A movimentação de Anderson Ferreira, que levou, a tiracolo, o irmão, André Ferreira, deputado federal, tem toda a cara de ter sido combinada com FBC e Miguel. Lógico que ninguém vai abrir essa informação. Mas, se, de fato, houve esse aval, como está parecendo, a estratégia dos Ferreira e dos Coelho está mais do que acertada para reforçar não apenas um candidato a governador, mas um postulante ao Senado também.

Nesse sentido, o que podemos já estar presenciando é uma pré-campanha para o Governo de Pernambuco com Miguel Coelho à frente e outra pré-campanha, essa para senador, que teria na vaga um dos irmãos Ferreira; mais provavelmente Anderson, apesar de que a tese de André não está nem de longe descartada, já que o deputado também tem ido aos encontros.

Em se confirmando essa hipótese, a chapa já estaria bem desenhada com dois candidatos dos extremos de Pernambuco: Sertão e Região Metropolitana, onde cada um em seu colégio eleitoral trabalharia para angariar votos para o outro. Faltaria, para fechar essa equação, apenas uma peça: um nome para a vice, que, pela lógica, seria do Agreste.

NOME – Uma chapa oposicionista com um candidato a governador do Sertão (Miguel Coelho/Petrolina) e outro a senador da Região Metropolitana (Anderson Ferreira/Jaboatão dos Guararapes), logicamente seria fechada com um quadro forte do Agreste. E não precisa nem entender de política para detectar que esse nome é muito claro: trata-se da prefeita de Caruaru, Raquel Lyra. A tucana, por sinal, foi assunto da Coluna da Fala PE anteontem pelo fato dela não estar se movimentando muito para uma provável candidatura ao Palácio do Campo das Princesas. Se já tiver topado a vice de Miguel, não tem mesmo porque Raquel estar andando pelo estado, o que casaria com a realidade dessa pré-campanha.

SENADO? – Cotado para concorrer ao Senado pela Frente Popular de Pernambuco, o deputado federal e presidente do Republicanos no estado, Silvio Costa Filho, disse, em entrevista ao blog do amigo Alberes Xavier, que o partido vai pleitear uma vaga na majoritária governista. “O nosso projeto agora é fortalecer os Republicanos. Somos o partido que mais cresceu em Pernambuco, saímos do zero e, hoje, temos 14 prefeitos. É natural que o PSB apresente candidatura própria ao governo do estado, vamos observar quais são os critérios que serão apresentados pela Frente Popular na composição da chapa majoritária para 2022. Os republicanos vão trabalhar para estar na majoritária, entretanto, temos tempo; a hora agora é lutar para ajudar Pernambuco”, disse o parlamentar.

FREVO – Uma das maiores manifestações culturais de Pernambuco e do Brasil, o frevo vai passar por um processo de revalidação e pode perder o título de “patrimônio cultural do Brasil”. De acordo com o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), esse procedimento é feito a cada dez anos. O frevo foi registrado como Patrimônio Cultural em 2007 e, portanto, deveria ter passado pelo processo de análise de revalidação em 2017. O presidente da Frente Parlamentar em Defesa da Cultura e do Entretenimento, deputado Felipe Carreras, usou a tribuna da Câmara, ontem, para convocar os amantes do frevo. Segundo o deputado, as pessoas têm até o dia 13 de junho deste ano para enviarem um e-mail para o Iphan se manifestando a favor da manutenção do frevo como patrimônio cultural.

ABSORVENTE – Já está em tramitação na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) proposta que viabiliza o fornecimento gratuito de absorventes para as alunas entre 11 e 17 anos da rede pública de ensino do estado de Pernambuco. A iniciativa é do Deputado Joel da Harpa, que vê urgência na votação pois já é comprovado que algumas estudantes chegam a perder até 45 dias letivos no ano por não terem absorvente para frequentarem a escola. Segundo Joel, além da prevenção a doenças relacionadas à falta de higiene no período menstrual, a medida busca evitar que alunas se ausentem das aulas por não terem acesso ao produto.

O povo quer saber: onde ficaria Marília Arraes nessa chapa desenhada pelos Coelho e os Ferreira?

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.