Coluna Fala PE – No Cabo de Santo Agostinho, Keko do Armazém revela herança maldita deixada por Lula Cabral e desidrata grupo do ex-prefeito

By 05/05/2021 - 00:00ColunaFalaPE

A gestão da Prefeitura do Cabo de Santo Agostinho tem confirmado, ao longo deste ano, o que toda a cidade já sabia: o prefeito Keko do Armazém recebeu uma baita de uma herança maldita do seu antecessor, Lula Cabral. Os problemas e as denúncias de irregularidades são em todas as áreas da administração. De acordo com Keko, Lula sempre foi conhecido por inaugurar obras faraônicas e não fazer gestão. O ex-prefeito, segundo o atual, deixou equipamentos públicos em completo abandono, principalmente escolas, campos e praças.

Keko classificou a falta de diálogo com o povo e a fama do antecessor de comprar votos como principais motivos para a rejeição que levou Lula a perder a disputa eleitoral. Outro motivo forte teria sido a prisão de Lula por supostos desvios no fundo previdenciário do município. Quando retornou, o ex-prefeito ainda demitiu todos os cargos comissionados.

Em contrapartida, Keko expandiu seu grupo político recebendo o apoio de ex-aliados de Lula Cabral, a exemplo da vereadora Gisele de Dudinha. Além disso, Keko também adotou a linha de enxugar a máquina administrativa, fazer gestão e assegurar benfeitorias ao povo. O prefeito triplicou o atendimento na Secretaria da Mulher, reduzindo em 45% os índices de violência de gênero. Keko também já reestruturou 45 escolas e promoveu parcerias com o setor privado para fomentar a economia.

Outro foco de problema é o setor cultural. Basta ver a situação em que se encontram o Centro Cultural Mestre Dié e o Teatro Barreto Júnior. “O Teatro Barreto Júnior, que já revelou diversos atores e atrizes, palco de grandes artistas como Zé Geraldo e grupos como o Teatro de Amadores de Pernambuco, hoje, encontra-se abandonado e cinza. A casa de espetáculos sofreu um incêndio em maio de 2017, início da gestão de Lula Cabral, e, desde então, as ruínas só aumentaram, um verdadeiro amontoado de lixo e resquícios de cinzas”, afirma a prefeitura. Como vimos, o trabalho para o atual governo está sendo hercúleo.

ARTICULAÇÃO – Pré-candidato a governador, Miguel Coelho não para. Ontem, ele estava “debatendo os caminhos” do MDB de Pernambuco com o presidente nacional da legenda, o deputado federal Baleia Rossi. O encontro teve a participação do senador Fernando Bezerra e do líder dos emedebistas na Câmara, deputado Isnaldo Bulhões. Na ocasião, o prefeito de Petrolina reforçou as “ideias” que levou recentemente ao presidente do MDB em Pernambuco, Raul Henry. Miguel defende o protagonismo da tradicional legenda no cenário político estadual. O movimento é uma clara tentativa dele de assegurar legenda para disputar o Palácio das Princesas ano que vem.

REJEIÇÃO – A ex-prefeita de Arcoverde, Madalena Britto, sofreu outra derrota jurídica, mais precisamente no Tribunal de Contas do Estado, que rejeitou os embargos apresentados pela socialista contra a rejeição das prestações de contas de Governo de 2016. Em dezembro do ano passado, a segunda Câmara do tribunal recomendou a rejeição das contas da política arcoverdense. Na última quinta-feira, os conselheiros da mesma Segunda Câmara do TCE acompanharam o voto do relator e, preliminarmente, conheceu dos presentes Embargos de Declaração, tanto que, no mérito, negou-lhe provimento, mantendo os termos do Parecer Prévio nos autos do Processo, referente à Prestação de Contas de Governo da Prefeita de Arcoverde, relativa ao exercício financeiro de 2016, recomendando à Câmara de Vereadores a rejeição das referidas contas.

REFORÇO – O deputado federal Ricardo Teobaldo trouxe um grande reforço para o seu time, já de olho em 2022. Convidou para comandar a articulação política de seu gabinete e do Podemos em Pernambuco o ex-prefeito de Sanharó e ex-superintendente do Ministério do Trabalho em Pernambuco, Geovane Freitas. Freitas comandou a SRT-PE por cerca de cinco anos, tendo assumido em julho de 2016 e entregue o cargo no final de março de 2021, tendo seu trabalho sido reconhecido tanto por servidores da Superintendência, como por procuradores do Ministério Público do Trabalho e sindicatos.

FNDE – O prefeito da Água Preta continua cumprindo agenda em Brasília na busca de recursos para a cidade. Na companhia do deputado Clodoaldo Magalhães, Noé se reuniu, na tarde de ontem, com Marcelo Lopes, presidente do FNDE. O Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) é responsável pela execução de políticas educacionais do Ministério da Educação (MEC). Água Preta vem se mostrando como uma referência na educação básica. Em menos de cinco meses de gestão a cidade aguapretana já possui uma plataforma própria de ensino à distância possibilitando a todos uma educação de qualidade.

O povo quer saber: Pazuello vai ou não depor na CPI que investiga falhas no combate à pandemia?

Por Fernanda Maria, Cientista Política.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.