Coluna FalaPE – André de Paula, Augusto Coutinho e Renildo Calheiros com os mandatos ameaçados

By 19/10/2021 - 00:00ColunaFalaPE

Além de Raul Henry e de Wolney Queiroz, que vive um drama no PDT, a regra eleitoral para a disputa de 2022 pode sepultar os desejos de renovação de mandato de três outros deputados federais de pedigree e carreiras consolidadas. Com a impossibilidade de levarem seus partidos para coligações na proporcional, André de Paula (PSD), Augusto Coutinho (SD) e Renildo Calheiros (PCdoB) estão com seus mandatos ameaçados, podendo ficar de fora da próxima legislatura caso fiquem onde estão.

Um dos políticos pernambucanos com melhor trânsito em Brasília, sendo um quadro reconhecidamente agregador, André de Paula, que preside o PSD pernambucano, tem votos de sobra para se reeleger. Mas está em uma legenda que, saindo só, certamente terá dificuldade de bater um número de votos necessários para assegurar uma das 25 cadeiras que o estado terá direito em Brasília.

O fato é, no mínimo irônico, já que André de Paula, inclusive, é um dos nomes lembrados na Frente Popular para o Senado. E dimensão para isso ele tem de sobra. Ou seja, o deputado pode ir de quase candidato a senador a possível derrotado em uma eleição para federal. Vale salientar também que, dos três em questão, André é o que mais tem capacidade de montar o partido para reeleger-se.

Augusto, assim como o colega deputado, é um excelente quadro; presidente do Solidariedade em Pernambuco e um dos coordenadores da bancada pernambucana. Preparado, conhecedor das funções legislativas, ele tem serviço prestado para ter uma boa votação nas urnas. Mas, assim como André, carece de uma sigla que lhe dê a segurança de concorrer sozinha e fazer pelo menos uma cadeira.

Menos que o PSD, o Solidariedade, apesar de contar com uma prefeitura robusta como a de Olinda, não tem quadros nem apoios no interior que façam de Augusto Coutinho um nome certo para renovar seu mandato no ano que vem.

No mesmo caminho vai Renildo Calheiros. Experiente, articulador dos bons, ex-prefeito e um dos deputados que mais conhecem os caminhos na capital, o parlamentar pode ser mais uma “vítima” da regra eleitoral, caso o PCdoB tenha que sair só para a disputa proporcional.

Mas, ao contrário dos colegas, Renildo vê com mais facilidade uma luz no final do túnel! Seu partido pode fundir-se ao PSB, atualmente a maior estrutura eleitoral de Pernambuco, e fazer com que o ex-prefeito de Olinda escape da degola. Há ainda outra chance. Se os comunistas formarem, no plano nacional, uma federação com os socialistas, ou mesmo com os petistas, aí Renildo pode respirar aliviado e ir para a disputa com chances de lograr êxito.

Uma saída comum aos três deputados analisados na coluna de hoje, como também a Raul Henry e a Wolney Queiroz, é deixarem seus atuais partidos e se abrigarem na mesma legenda, seja ela qual for, para irem para a disputa com possiblidade mais clara de escapar. O ponto negativo é que, fora dos partidos de origem, eles poderiam perder na prática o comando dessas agremiações. Uma coisa é fato: qualquer que seja a decisão desses deputados, ela terá de ser tomada em breve, porque o tempo não para!

O povo quer saber: qual partido pode abrigar André de Paula, Augusto Coutinho e Renildo Calheiros?

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.