Coluna FalaPE – O PT consegue fazer quatro federais em 2022 ou a conta é arriscada?

By 05/10/2021 - 00:00ColunaFalaPE

Não é só na eleição majoritária que o PT se mexe. A montagem das chapas proporcionais em Pernambuco também estão mobilizando muito os bastidores do partido do ex-presidente Lula. Em especial, a disputa pela Câmara Federal, que pode terminar com até quatro petistas eleitos, segundo garantem fontes da legenda. Mas a Coluna Fala PE questiona: será que os petistas conseguirão mesmo eleger quatro federais ou essa conta é arriscada demais?

O resultado da eleição proporcional para o PT de Pernambuco passa estrategicamente por um nome: Marília Arraes. Se a atual deputada federal, que estourou de votos em 2018, for candidata à reeleição, seu desempenho nas urnas pode ajudar na sua reeleição, na do colega deputado Carlos Veras e mais um ou dois nomes petistas que pegariam carona nesse embalo.

Diante dessa possibilidade, dois quadros já correram para tentar viabilizar-se nessa corrida: a deputada estadual Teresa Leitão e a vereadora Liana Cirne, do Recife. As duas políticas querem pegar carona na popularidade de Marília e acabar beneficiadas com a votação da neta de Arraes, além da de Carlos Veras, que contará com uma base sindical.

Que Marília e Veras têm retorno garantido isso ninguém contesta. A questão é: se os dois mais a soma dos demais candidatos da chapa petista conseguirão puxar mais outros dois quadros? Essa dúvida é o que paira sobre as ambições petistas. E se o cenário for com Marília candidata ao Senado ou ao Governo de Pernambuco? Como fica a chapa proporcional do PT?

Para Liana Cirne, que não tem nada a perder, pois seu mandato de vereadora vai até 2024, está tudo bem. Ela pode e está disposta a arriscar. Quer utilizar, além da votação do fator Marília, a popularidade alcançada por ela com o episódio em que foi vítima da truculência da Polícia Militar durante recente manifestação no Recife. Mas e Teresa? Será que vale a pena trocar anos de Assembleia Legislativa e uma reeleição mais ou menos assegurada por uma candidatura que pode dar errado?

E Carlos Veras, será que se sente ameaçado tendo que disputar com duas candidatas competitivas como Teresa Leitão e Liana Cirne? São essas respostas que os petistas precisam obter o mais rápido possível. O tempo está correndo e 2022 é logo ali.

O povo quer saber: mais algum quadro do PT desponta como competitivo para a disputa por vaga na Câmara?

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.