Coluna FalaPE – PSB pode guardar a vaga de senador em chapa governista para atrair nome de peso

By 08/07/2021 - 07:01ColunaFalaPE

A um ano do início do processo eleitoral, uma pergunta ainda ecoa fortemente no meio político: quem será o candidato a senador na chapa da Frente Popular? E a resposta é que ainda não há esse nome. Várias opções já estão postas, mas o martelo ainda não foi batido pela cúpula socialista. É possível que eles usem a vaga para atrair um nome de peso e agregar politicamente e eleitoralmente à chapa a ser provavelmente encabeçada pelo ex-prefeito do Recife, Geraldo Júlio. Vamos às opções.

Cotado até pouco tempo, o senador Fernando Bezerra Coelho, que se elegeu pela Frente Popular em 2014, não deve ser o escolhido. De uns tempos para cá, circulou a informação nos bastidores do governo que a base socialista não aceita FBC de jeito nenhum. Por vários motivos: excesso de críticas ao Governo Paulo Câmara, proximidade com o presidente Jair Bolsonaro. Pesa também o fato de que, uma vez reeleito, Bezerra Coelho sairia mais forte da eleição para tentar fazer o governador, em 2026. Agora, caso fosse o indicado, FBC abortaria o nome do filho Miguel Coelho, prefeito de Petrolina e um potencial adversário de Geraldo Júlio para governador.

Outro nome ventilado nos bastidores da coligação governista – e já amplamente tratado na coluna – é o da deputada federal Marília Arraes, do PT. Esse é o desejo de Lula para Pernambuco. E o assunto será tratado na vinda do ex-presidente ao estado. Apesar de torcer o nariz, o PSB toparia a composição por dois motivos. Primeiro, para agradar Lula e tê-lo de corpo e alma no palanque de Geraldo. Depois, para que o PT novamente rife o nome da parlamentar da corrida pelo Palácio – Marília é vista como uma ameaça muito maior do que Miguel.

Há algum tempo chegou-se até a especular uma reconciliação do PSB com o ex-senador Armando Monteiro, eleito pela Frente Popular, em 2010, antes de enfrentar Paulo Câmara duas vezes pelo governo; e perder as duas. O assunto foi logo deixado de lado. Armando se filiou ao PSDB e reafirmou sua oposição aos socialistas. Tem ainda quem acredite que possa vir dos irmãos Ferreira a indicação do senador da Frente Popular. O deputado federal André Ferreira seria o nome, não o prefeito de Jaboatão dos Guararapes, Anderson Ferreira. Outra hipótese que passou longe de ganhar força. Eles devem mesmo ficar contra os governistas.

NOMES CASEIROS – Ainda existe a remota possibilidade de o atual governador, Paulo Câmara, concorrer ao Senado pela Frente Popular, em 2022. Mas uma chapa puro sangue é muito difícil de acontecer; ainda mais no cenário onde os socialistas precisarão de uma aliança consistente para vencer pela quinta vez seguida a eleição em Pernambuco. E o PSB não abriria mão da cabeça; restando apenas a vaga de senador para ser negociada. Nesse sentido, Paulo deve sair para deputado federal caso não se concretize a especulação de que ele seria o postulante a vice-presidente de Lula.

NOMES CASEIROS 2 – Na esteira da negativa do governador Paulo Câmara em concorrer ao Senado pela Frente Popular, outros nomes dentro do bloco governista despontam como opções. Entre eles, três deputados federais que comandam importantes partidos do Centrão em Pernambuco, com tempo de TV e verba partidária para sustentar uma campanha polarizada. São eles Eduardo da Fonte, André de Paula e Sílvio Costa Filho, respectivamente, presidentes estaduais do PP, PSD e Republicanos. É bem provável, aliás, que o nome saia de uma legenda mais ao centro, em uma combinação com Lula para o PT ficar com a vaga de vice de Geraldo Júlio, potencial candidato a governador.

NOVIDADE – Uma novidade na disputa será o nome do hoje ministro do Tribunal de Contas da União, José Múcio Monteiro, que vai se aposentar do cargo e ficará livre para disputar eleição em 2022. Muito amigo de Lula, Zé Múcio poderia pintar como nome para o Senado. Mas a possibilidade mais forte em relação a ele diz respeito a uma possível candidatura sua a governador, cargo que já disputou contra Miguel Arraes lá 1986, 35 anos atrás. Já se falou no nome da também ministra do TCU, Ana Arraes, filha de Arraes, mãe do ex-governador Eduardo Campos e avó do prefeito do Recife, João Campos. Mas Ana não tem dado mostras de que disputará novamente um cargo público.

O povo quer saber: tem mais algum nome especulado para disputar o Senado pela Frente Popular?

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.