Comissão de Educação e Cultura promove audiência pública sobre o carnaval 2022

By 08/12/2021 - 12:42Pernambuco

A Comissão de Educação e Cultura da Assembleia Legislativa de Pernambuco a pedido da mandata das Juntas, promove nessa quinta-feira (9), às 16h uma audiência pública virtual, como transmissão ao vivo pela TV ALEPE e YouTube da TV ALEPE, sobre o carnaval de 2022 e seus impactos nos diversos setores econômicos e sociais do estado. A audiência pública, provocada por artistas, fazedoras e fazedores de cultura e demais trabalhadoras e trabalhadores envolvidos no ciclo carnavalesco, pretende estabelecer um espaço propositivo em que se apontem as demandas dos setores impactados e em que seja possível formular alternativas que garantam a subsistência desses grupos, caso o carnaval de rua não aconteça, e, se acontecer, qual será o carnaval possível.

O Comitê Científico do Consórcio Nordeste emitiu nota técnica recomendando o cancelamento das festividades de réveillon e carnaval, porém até o momento, o Governo do Estado de Pernambuco não emitiu qualquer pronunciamento oficial sobre a realização ou não  do carnaval. Outro ponto é que atualmente os protocolos de convívio com a Covid-19 permitem a realização de diversas atividades e shows com quantidade elevada de participantes, o que levanta o questionamento sobre a camarotização e elitização do carnaval que deve acontecer apenas para grandes estruturas e festivais com ingressos com altos valores e pouco acessíveis para as pessoas que efetivamente fazem o carnaval de Pernambuco ser um dos mais populares do Brasil.

Segundo dados da Empetur, em 2020 Pernambuco recebeu quase 2 milhões de visitantes durante o feriado, e movimentou a receita turística de R$ 2,3 bilhões, impactando não só na vida das agremiações e artistas locais, mas em um conjunto de setores que vão desde os trabalhadores informais até as costureiras que confeccionam fantasias. Em 2021, com o avanço da pandemia da COVID-19, o adiamento do carnaval teve como medida paliativa a edição de um Auxílio Emergencial do Carnaval que só considerou os artistas como público alvo dessa política pública, negligenciando toda a cadeia produtiva do carnaval e aprofundando as desigualdades existentes em grupos com menor poder aquisitivo e menos destaque público, como é o caso das costureiras, dos técnicos de som, dos bonequeiros, dos comerciantes informais e de diversos outros grupos que atuam na construção do carnaval em Pernambuco. Além disso, o recurso disponibilizado só foi recebido após a data da realização do carnaval, fazendo com que os poucos artistas beneficiados com o auxílio ainda precisassem aguardar tempo significativo para acessar o recurso.

Diante desta conjuntura, e dos erros e acertos realizados no carnaval de 2021, a Assembleia Legislativa levanta questionamentos sobre a permanência ou não do carnaval, o perigo de Pernambuco desenvolver um carnaval elitizado e camarotizado e as alternativas que toda a economia produtiva do carnaval deverá receber diante do possível adiamento da festividade.

COMPOSIÇÃO DA MESA:

São esperadas no debate as presenças de: Gilberto Freyre Neto ( Secretário de Cultura de Pernambuco); Representante da EMPETUR; André Longo (Secretário de Saúde); Representante da Fiocruz; Representante do Conselho Estadual de Cultura; Representante da UNICAB (União Nacional dos Trabalhadores e Trabalhadoras Camelôs, Feirantes e Ambulantes do Brasil); Representante  do Homem da meia noite; Representante do Galo da Madrugada; Representante da União dos Afoxés de Pernambuco; Tassia Seabra (Coletivos de Fazedores de Cultura Periférica – PE); Manoel Salustiano (Associação de Maracatus de Baque Solto de Pernambuco); e Representante da Associação de Maracatu de Olinda.

ALGUNS PONTOS A SEREM TRATADOS SÂO:
⦁ Será permitido carnaval de rua em 2022?
⦁ Qual o carnaval possível?
⦁ Em não sendo permitido o carnaval de rua, haverá restrição para realização de festas pagas e camarotes privados?
⦁ Quais os mecanismos virtuais ou não que estão projetados pelo Governo de Pernambuco para a realização de atividades culturais durante o período do carnaval?
⦁ Como a Secretaria de Cultura e a Secretaria de Turismo e Lazer têm se articulado com as demais secretarias para garantir que os impactos do adiamento/cancelamento do Carnaval de 2022 sejam observados a partir de uma perspectiva ampla, que considere o impacto em setores da economia que não necessariamente estão diretamente conectados com a cultura;
⦁ Quais os espaços de escuta, diálogo e deliberação estão sendo desenvolvidos para comunicação com os setores impactados com o possível adiamento/cancelamento do Carnaval de 2022
⦁ Como será realocado o orçamento previsto para o Ciclo Carnavalesco de 2022

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.