Compaz recebe principal prêmio da ONU para políticas públicas

FOTO: Rodolfo Loepert / PCR.

Equipamento da Prefeitura do Recife levou o Prêmio de Serviço Público das Nações Unidas 2022, na categoria “Aprimorar a eficácia das instituições públicas para alcançar os objetivos de desenvolvimento sustentável (ODS)”

A Rede Compaz ganhou o Prêmio de Serviço Público das Nações Unidas, que melhor contempla os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e excelência no serviço público. Os equipamentos municipais foram avaliados por critérios da ONU como iniciativa de relevância e qualidade, servindo de referência internacional no atendimento à população. O prefeito do Recife João Campos esteve reunido com a equipe que faz as experiências do equipamento se tornarem realidade e pessoas beneficiadas, nesta quarta-feira (22), no Compaz Dom Hélder Câmara, na Ilha de Joana Bezerra, para acompanhar o anúncio da ONU.

“A Rede Compaz ganhou um Prêmio da ONU, um reconhecimento destes equipamentos do Recife como uma ação pública efetiva para enfrentamento da desigualdade e geração de oportunidade. Quero agradecer ao ex-prefeito Geraldo Julio que foi o grande responsável por iniciar essa rede no Recife e hoje ela é uma realidade”, comentou João Campos, ao lado da vice-prefeita Isabella de Roldão. “Isso é muito relevante. É o maior prêmio que existe no mundo para serviços públicos e o Compaz recebe. Esse é o primeiro prêmio que a cidade do Recife recebe da ONU e eu tenho certeza que será o primeiro de muitos. Representa que uma política pública construída no Recife é referência não só na cidade e no Brasil, mas agora ela tem um reconhecimento mundial. Uma ação que é carimbada, é validada, pela ONU pode inspirar tantas outras cidades, estados e países a fazer como o Compaz. Aqui é uma fábrica da cidadania”, acrescentou Campos.

O ex-prefeito do Recife, Geraldo Julio, também participou da premiação e ressaltou a importância do equipamento. “A ONU reconhece o combate à desigualdade do Compaz como a política mais eficiente. E o diferencial do Compaz é que ele é feito por gente que gosta de gente, com amor e cuidando de quem mais precisa nesta cidade ”, disse o ex-prefeito Geraldo Julio. O reconhecimento internacional também se enquadra nos requisitos da Agenda 2030 da ONU, que é um plano de ação global das Nações Unidas, que reúne 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e 169 metas, criados para erradicar a pobreza e promover vida digna a todos, dentro das condições que o nosso planeta oferece e sem comprometer a qualidade de vida das próximas gerações.

“Ganhar esse prêmio pelos serviços prestado pelos Compaz é um reconhecimento dessa iniciativa da Prefeitura do Recife inovadora no Brasil, que quebrou, primeiro, com essa lógica perversa de fazer coisa pobre para quem é pobre; segundo, de integrar a cidade formal com a cidade informal e, terceiro, de levar serviços públicos de altíssima qualidade para quem mais precisa. Então, esse prêmio é um reconhecimento de todo esse esforço da Prefeitura do Recife”, avaliou o Secretário de Segurança Cidadã do Recife e diretor da Rede Compaz, Murilo Cavalcanti.

Já o professor de Artes Marciais Vicente Morcego, que atua no Compaz Eduardo Campos, no Alto Santa Terezinha, compartilhou o que representam essas atividades na vida dos alunos. “As artes marciais são instrumentos para a cultura de paz. O nosso objetivo, no Compaz, não é formar atletas, mas sim formar cidadãos. Para trabalhar no Compaz é preciso gostar de gente”, explicou ele. O evento deu início às celebrações do Dia do Serviço Público, que é oficialmente celebrado no dia 23 de junho. O tema da premiação deste ano foi “Reconstruindo melhor depois da covid-19: aprimorando parcerias inovadoras para atender aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável”.

A auxiliar de serviços gerais Simone Gomes, 38 anos, mora no bairro Linha do Tiro e conta que ela e os três filhos usufruem do Compaz Eduardo Campos desde que foi fundado. “Atualmente, o meu filho faz jiu-jitsu e as minhas duas filhas fazem balé. Pérola tem quatro anos, Safira tem sete anos e Marcelo tem 12 anos. Meu filho também faz robótica. Sem o Compaz as crianças ficavam dispersas, sem ter com o que se ocupar. O Compaz traz cultura e vai ajudar até eles terem uma profissão no futuro”, disse ela. Os irmãos gêmeos Wermenson e Wandresson Alves, de 17 anos, moram no Alto de Santa Terezinha e também frequentam o Compaz Eduardo Campos desde que tinham 10 anos de idade. De acordo com Wemerson, a Rede Compaz faz a diferença na vida de crianças e adultos que moram no entorno de cada unidade. “O Compaz mudou muito a minha vida, já fiz muitas atividades lá, hoje eu estou estudando muito, frequento a biblioteca de lá e também estou estagiando no Compaz. Já fiz judô, capoeira, luta olímpica, informática, natação, curso de inglês”, reconheceu.

O reconhecimento das políticas do Compaz ocorreu por causa da correlação entre a localização das unidades Compaz e a redução das taxas de criminalidade nessas áreas. Os beneficiários diretos e indiretos das quatro unidades do Compaz em operação hoje são residentes em um raio de 3 km de cada equipamento, e correspondem a 30,3% da população do Recife. Duas unidades foram avaliadas. No Compaz Ariano Suassuna, no Cordeiro, a média móvel mensal de crimes violentos e letais dolosos revelou uma queda de -5,8% dois anos após o lançamento do equipamento. No Compaz Eduardo Campos, no Alto Santa Terezinha, a queda foi ainda mais expressiva: -13,8%.

FÁBRICA DE CIDADANIA – O Recife possui quatro Centros Comunitários da Paz (COMPAZ). Cada unidade está localizada em uma área periférica da cidade, identificada com alto índice de violência. São eles: o Compaz Governador Eduardo Campos (Alto Santa Terezinha), o Compaz Escritor Ariano Suassuna (Cordeiro), O Compaz Governador Miguel Arraes (Praça da Caxangá) e o Compaz Dom Hélder Câmara, no Coque.  

Os equipamentos oferecem práticas esportivas, culturais e educacionais em primorosas obras arquitetônicas. É um espaço de convivência para todas as idades. Os Compaz são um celeiro de cidadania, onde se pratica a cultura de paz e não violência, através da oferta de várias atividades e serviços. Procon, CRAS, Mediação de Conflitos, Junta Militar, artesanato, futebol, basquete, vôlei e programação ativa nas bibliotecas de cada um são algumas das opções que os recifenses podem fazer. Tudo de graça e qualidade.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.