Covid-19: Bolsonaro critica ‘domínio’ de ‘certas regiões’ na produção de insumos

Citando a dificuldade de se obter equipamentos de proteção individual (EPIs) e insumos médicos no início da pandemia de Covid-19, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) pediu uma “cooperação de um número mais amplo de países” e lamentou que “certas regiões tenham passado a dominar etapas da cadeia produtiva”, sem citar quais.

A declaração foi exibida na madrugada deste sábado (5), no horário de Brasília, durante conferência do Global Manufacturing and Industrialisation Summit (cúpula global de fabricação e industrialização), evento virtual organizado com apoio do governo dos Emirados Árabes Unidos e da Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (Unido), que é realizado entre os dias 4 e 5 de setembro.

Em sua fala, Bolsonaro apontou que “poderia haver menos mortes” por Covid-19 se não houvesse dificuldades em alguns períodos para se ter acesso a equipamentos, como ventiladores mecânicos.

Segundo ele, um “desequilíbrio” na cadeia global complicou o acesso a itens essenciais no combate à doença. O presidente reconheceu que o Brasil “enfrentou dificuldades para adquirir máscaras, respiradores e insumos farmacêuticos”, porém, que foi possível administrar o problema e que não houve mortes por “hospitais mal aparelhados”.

Bolsonaro não citou nominalmente a China, que domina a produção de alguns dos EPIs e insumos requisitados mundialmente com o avanço da pandemia, mas reforçou a importância de países terem “fabricação de princípios ativos e medicamentos”.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.