CTG Brasil anuncia hub de hidrogênio verde no Porto de Suape em parceria com Senai e Governo de Pernambuco

By 25/07/2022 - 16:18Pernambuco

Iniciativa pioneira foi lançada na tarde desta segunda-feira (25), na Casa da Indústria, no Recife, e vai promover o desenvolvimento de soluções inovadoras com foco no combustível do futuro

Transformar o Complexo Industrial Portuário de Suape em um espaço de pesquisa, desenvolvimento e inovação com foco no combustível do futuro: essa é a proposta do TechHub Hidrogênio Verde, iniciativa pioneira lançada na tarde desta segunda-feira (25), na Casa da Indústria, no bairro de Santo Amaro, na área central do Recife. Liderada pela CTG Brasil, uma das principais empresas de geração de energia limpa no País, em parceria com o Departamento Nacional do Senai, Senai Pernambuco e o Governo do Estado, a iniciativa concentrará em Suape a implementação de projetos inovadores focados na produção, transporte, armazenamento e gestão de hidrogênio verde (H2V). Juntos, os projetos receberão inicialmente investimentos de até R$ 45 milhões.

As propostas foram selecionadas na chamada pública “Missão Estratégica Hidrogênio Verde”, promovida pelo Departamento Nacional do Senai e pela CTG Brasil. O edital, cujo resultado foi divulgado em fevereiro passado, previa aporte de R$ 18 milhões nas soluções mais inovadoras aptas a gerar negócios relacionados ao combustível do futuro.

Essa iniciativa faz parte da estratégia de investimento em P&D+ inovação da CTG Brasil alinhada ao Programa de Pesquisa e Desenvolvimento regulado e promovido pela Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica).

O Brasil conta com grande potencial para geração de energia a partir de fontes renováveis. Para o diretor-geral do Senai, Rafael Lucchesi, o país precisa ampliar o investimento em soluções inovadoras e sustentáveis. “Precisamos avançar mais em pesquisas. Nosso maior desafio é desenvolver uma diversidade de matrizes energéticas sustentáveis e confiáveis que poderão suprir as necessidades de energia de uma população em crescimento”, ressalta.

“O papel do Senai é colaborar na implantação desses projetos, que poderão contribuir para a elevação da atratividade do nosso Estado. Enxergamos no Complexo Industrial Portuário de Suape uma forma de testar a viabilidade desses projetos em um cenário real, agregando outras empresas e criando um verdadeiro hub de inovação”, explica a diretora-regional da instituição em Pernambuco, Camila Barreto.

ESTRATÉGIA DE INOVAÇÃO

Para a CTG Brasil, maior investidora do programa de Hidrogênio Verde, o TechHub tem papel fundamental na estratégia de inovação da companhia, contribuindo com soluções e novas tecnologias que acelerem a transição energética e impulsionem o protagonismo do Brasil em projetos com foco em uma economia de baixo carbono. “Um dos objetivos da iniciativa é promover um ecossistema voltado para emprego de novas tecnologias, melhoria no processo de eletrólise, aumento de eficiência total da planta, redução de custos, capacitação e proposição de novos modelos de negócios”, afirma Carlos Nascimento, gerente de Pesquisa e Desenvolvimento da CTG Brasil.

Para conectar todas as iniciativas de investimento nas plantas piloto implementadas no TechHub, será desenvolvida uma plataforma digital de comercialização para o hidrogênio verde.

“É fundamental rastrear e certificar a origem da energia para a produção do hidrogênio, assegurando que a fonte de alimentação da planta é proveniente de energia 100% renovável, abrindo ainda mais portas para a comercialização deste que é considerado o combustível do futuro”, afirma José Renato Domingues, vice-presidente corporativo da CTG Brasil.

DE OLHO NO FUTURO

O secretário de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco, Geraldo Julio, comemora a iniciativa. “Esse Hub mostra a capacidade do Complexo de Suape e sua diversidade em abraçar empreendimentos de vários segmentos.

Estamos de olho no futuro, já que o hidrogênio verde é uma inovação mundial, tem grande potencial de investimento, sustentabilidade e desenvolvimento da economia verde. Além disso, são medidas visionárias como essa que vão sempre nos manter protagonistas e aparecendo na estratégia de grandes agentes econômicos globais quando se fala do Nordeste e do Brasil”, pontua.

Para o diretor de Meio Ambiente e Sustentabilidade de Suape, Carlos Cavalcanti, a iniciativa está alinhada com os objetivos delineados para o futuro da estatal portuária e do próprio Estado, de fortalecer a economia por meio da atração de negócios que tenham a sustentabilidade como foco. “Esse projeto mostra a capacidade do Complexo de Suape e sua diversidade em abraçar indústrias de vários tipos olhando para o futuro. O hidrogênio verde é uma inovação mundial, tem grande potencial de investimento, sustentabilidade e desenvolvimento da economia verde”, salienta.

MEMORANDO DE ENTENDIMENTO

Na ocasião, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado (SDEC-PE), a CTG Brasil e o SENAI Pernambuco assinaram um Memorando de Entendimento para avaliar o desenvolvimento e/ou a implementação de diversos projetos da cadeia de hidrogênio do Complexo Industrial Portuário de Suape. Trata-se de um acordo que pretende unir a expertise da companhia, o potencial energético do Estado e o posicionamento estratégico do porto.

Com a formalização do memorando, será possível estabelecer relações colaborativas entre as instituições com o intuito de promover o desenvolvimento de projetos. Além disso, a parceria contribui com o processo de descarbonização, ao proporcionar o aumento da participação de fontes renováveis nas atividades portuárias.

Essa iniciativa tem como objetivo o desenvolvimento do potencial de H2V e a identificação de oportunidades no porto público mais estratégico do Nordeste, tendo em vista que 90% do Produto Interno Bruto (PIB) da região encontra-se em um raio de 800 quilômetros do porto.

Além disso, está previsto o estabelecimento da intenção de encontrar oportunidades conjuntas na área de energia e de descarbonização de indústrias vinculadas ao porto.

OS INSTITUTOS SENAI DE INOVAÇÃO

A Rede de Institutos Senai de Inovação foi criada para atender as demandas da indústria nacional e tem como foco de atuação a pesquisa aplicada, o emprego do conhecimento de forma prática, no desenvolvimento de novos produtos e soluções customizadas para as empresas ou de ideias que geram oportunidades de negócios. Os institutos trabalham em conjunto, formando uma rede multidisciplinar e complementar, entre si e em parceria com a academia, com atendimento em todo o território nacional.

A rede é composta por 26 institutos. Desde a criação, em 2013, mais de R$ 1,2 bilhão foram mobilizados em 1.332 projetos de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I). A estrutura conta com mais de 930 pesquisadores, sendo que cerca de 52% têm mestrado ou doutorado. Por serem reconhecidos como Instituições de Ciência e Tecnologia (ICT), os Institutos Senai de Inovação dispõem de acesso a diversas fontes de financiamento não-reembolsáveis para projetos de PD&I. Atualmente, 15 institutos compõem unidades EmbrapII com acesso direto a recursos para financiamento de projetos estratégicos de pesquisa e inovação.

SOBRE A CTG BRASIL

A CTG Brasil trabalha para desenvolver o mundo com energia limpa em larga escala. Segunda maior geradora privada de energia do País, conta com a dedicação de seus talentos locais e está comprometida em contribuir com a matriz energética brasileira, pautada pela responsabilidade social e respeito ao meio ambiente. A empresa tem investimentos em 17 usinas hidrelétricas e 11 parques eólicos, com capacidade instalada total de 8,3 GW. Criada em 2013, é parte da China Three Gorges Corporation, uma das líderes globais em geração de energia limpa.

PORTO ESTRATÉGICO

O Complexo Industrial Portuário de Suape, localizado entre os municípios do Cabo de Santo Agostinho e de Ipojuca, no Grande Recife, é um dos maiores projetos de desenvolvimento econômico do País. Atualmente, 224 empresas estão em funcionamento no complexo, gerando mais de 40 mil empregos diretos e indiretos. Suape é interligado a mais de 160 portos em todos os continentes e se apresenta como o porto público mais estratégico do Nordeste, tendo em vista que 90% do PIB (Produto Interno Bruto) da região e uma população de 57 milhões de potenciais consumidores encontram-se em um raio de 800 quilômetros do atracadouro.

Dessa forma, consolida-se como um hub port natural, ou seja, porto concentrador e distribuidor de cargas para o Nordeste e o Norte do País. O porto é líder em navegação por cabotagem e na movimentação de granéis líquidos entre os portos públicos brasileiros. Além disso, tem a maior movimentação de contêineres e de veículos do Norte/Nordeste.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.