Desgaste da família Hacker consolida nome de Camila Machado em Sirinhaém

As prefeituras de Tamandaré, Rio Formoso e Sirinhaém, comandadas pelo clã político dos Hacker nunca esteve tão em evidência, de forma negativa, como nos últimos tempos. A Prefeitura de Sirinhaém, mais especificamente, tem se envolvido em escândalos que pode prejudicar a tentativa do prefeito Franz Hacker (PSB) de fazer o vereador e presidente da Câmara Municipal, Coelhinho (PSB), o seu sucessor.

Em junho passado, com exclusividade, o Portal LeiaJá denunciou que a prefeitura empregava um funcionário fantasma: Adail Veras da Silva Junior exerce o cargo comissionado de Diretor do Departamento de Esportes no município desde pelo menos o ano de 2019 de forma irregular, e o nome que consta no Portal da Transparência do município não é o seu, mas o de seu filho, Rodrigo Cesar dos Santos Veras.

Além do caso de Adail e Rodrigo Veras, há suspeita de utilização de mais funcionários fantasmas na prefeitura, que foram levantados anonimamente por cidadãos de Sirinhaém, que teriam formalizado as denúncias ao Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco (TCE-PE) e ao Ministério Público de Pernambuco (MPPE).

Ainda em junho deste ano, o sobrenome da família se viu envolvido em mais uma polêmica com a morte do pequeno Miguel, que caiu do 9º andar do Condomínio Pier Maurício de Nassau, no Recife. Miguel tinha ficado aos cuidados de Sari Corte Real, esposa do prefeito de Tamandaré, Sérgio Hacker, que é irmão de Franz Hacker.

Em 2019, após uma representação do Ministério Público de Contas de Pernambuco (MPCO), o MPPE ingressou com uma ação por ato de improbidade administrativa contra o prefeito Franz por ele ter, segundo a denúncia, realizado contratações temporárias supostamente ilegais no ano de 2017. Para o órgão, o socialista teria afrontado diversos princípios da administração pública como legalidade, impessoalidade e eficiência.

Diante de todo esse conturbado contexto, a vice-prefeita da cidade e pré-candidata à prefeita Camila Machado (PP) é vista como um novo nome para ocupar o cargo. Ela também tem apostado em encontros e debates para o que chamou de um processo para a “construção de uma nova história para o povo”.

Camila, que é servidora da UFPE e advogada, ressaltou que é preciso coragem para estar na política. “Se não participarmos, fica tudo como está. O primeiro passo para a mudança é a ação, sair da indignação e ser um agente de transformação do seu bairro, da sua comunidade e da sua cidade. Meu desejo é que tenhamos coragem. Coragem para renovar, coragem para mudar”, destacou em suas redes sociais.

Entre os apoios recentes que Camila já recebeu, destaque para o PROS. O presidente estadual da legenda, João Fernando Coutinho, chegou a dizer que confiava no trabalho e nas ideias da pré-candidata e do seu pré-candidato a vice Manoel da Retífica. Mais um reforço importante já declarou o apoio à progressistas: o presidente da Assembleia Legislativa de Pernambuco, Eriberto Medeiros.

O deputado, sobre o apoio, disse acreditar que “essa união vai trazer desenvolvimento, emprego e renda para a população de Sirinhaém. Acreditamos na capacidade de Camila e Manoel para dar um futuro melhor a esta próspera cidade”.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.