Educa Week 2021: João Campos fala sobre os avanços do Recife no maior evento de educação do País

Em pauta, novas demandas educacionais, geradas e impulsionadas pela pandemia, prefeito falou sobre ações como o Infância na Creche, Educa Recife e o Primeiras Letras

 

O prefeito João Campos participou, nesta quinta-feira (21), do Educa Week, considerado o maior evento em educação do Brasil, no painel sobre “A Transformação da Educação através dos Municípios”. O Educa Week debate sobre o futuro da educação no Brasil, promovendo conexões e trocas de experiências, com a finalidade de melhorar o ensino e a aprendizagem no país. Desde segunda-feira (18), o evento  tem abordado os desafios da Educação Básica, pós pandemia, com cerca de 150 educadores e ativistas do setor da educação. O evento é totalmente gratuito e online, com transmissão via Youtube. E ainda, aberto para estudantes, professores, pais de alunos, gestores, que irão compartilhar experiências. 

 

É preciso ter um plano de longo prazo para lidar com a Educação, não dá para achar que vai resolvê-la em apenas três meses, ou que um governo em quatro anos vai conseguir lidar com problemas sistêmicos. É necessária uma estratégia bem desenhada em várias frentes diferentes. Desde você melhorar a qualidade de infraestrutura de uma escola no Sertão ou da zona periférica na cidade, à você ter um programa denso de formação de professores, ter um currículo adequado, que seja moderno e dialogue com atratividade”, iniciou o João Campos. . 

 

Nós temos que intensificar a alfabetização na nossa cidade, em nosso país. É alfabetizar na idade certa, porque isso é um direito emancipatório. Quando a gente faz isso com uma criança, a gente dá o direito de ela construir o seu futuro, ser o que ela quiser ser, ter liberdade e autonomia na sua vida. Para isso, criamos o Primeiras Letras, o maior programa de alfabetização da história do Recife”, acrescentou. 

 

Sob o olhar da pandemia, o prefeito João Campos lembrou dos protocolos sanitários desenhados com foco na vida e qualidade de vida das crianças. Resgatou, ainda,  as melhorias de infraestrutura que foram feitas nas unidades de ensino e compartilhou sobre a retomada do ensino presencial de forma gradual, que ocorreu com apoio pedagógico e sócio-emocional às crianças que estavam voltando, sendo o Recife uma das primeiras cidades de Pernambuco a fazer a reabertura. Eu sinto que com essa pandemia, que ninguém desejou, ninguém comemora, nem ninguém celebra, a gente tem que aprender a como sair melhor”, almejou o prefeito. 

 

No debate, o prefeito ainda destacou o lançamento do maior programa de ensino híbrido, o Educa Recife, que não foi lançado apenas para durar no período da pandemia, mas seguir de forma permanente, colaborando com o modelo presencial. Destacou a priorização da vacinação do trabalhador e trabalhadora da educação, a importância de priorizar a educação na gestão, o desafio de presenciar as escolas e creches vazias por causa da pandemia, as estratégias de estímulos e conscientização de estudantes sobre a importância da vacinação, e ainda adiantou projeto futuro da gestão, que almeja preencher a ausência do estado na vida das pessoas. João Campos também falou sobre o Centro de Referência da Primeira Infância, os prejuízos da pandemia na aprendizagem de crianças e jovens, e a importância de manter diálogo permanente e decisório com os professores. 

 

Paulo Freire é recifense, nascido em Casa Amarela, e este ano celebramos o seu centenário. Ele, que trabalhou na gestão de prefeito de Miguel Arraes,  conseguiram juntos, em um ano, construir mais de 60 escolas municipais na cidade, quando não havia nenhuma. A gente tem a oportunidade de estar aqui 60 anos depois, como prefeito da cidade, homenageando Paulo Freire e com planos ousados: duplicar o número de vagas em creches, universalizar o ensino integral nos anos finais e criar um amplo programa de alfabetização na idade certa. Hoje faço essa justa homenagem a ele, esse recifense brasileiro Paulo Freire”, encerrou João Campos. 

 

Em sua 6ª edição, o Educa Week 2021 vem com o tema “O Olhar inovador para as demandas educacionais” e conta com a participação de líderes, ativistas e especialistas internacionais, das universidades de Harvard e Stanford, que irão abordar temas sobre as transformações geradas na educação brasileira no pós-pandemia. 

 

Serão 36 painéis, reunindo mais de 150 educadores e ativistas do setor com variados temas, com temas pautados nas novas demandas educacionais, geradas e impulsionadas pela pandemia, desde os desafios da educação infantil até investimentos no mercado e os negócios das Edtechs, startups focadas no desenvolvimento de soluções tecnológicas para a educação. 

 

 

No painel que contou com a participação do prefeito do Recife, João Campos, estiveram também o secretário de Educação do Rio de Janeiro, Renan Ferreirinha; o assessor especial de Transformação Digital Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro, Guilherme Cintra; e o líder Relações Governamentais Todos pela Educação e mestre em Educação pela Universidade de Stanford, Lucas Hoogerbrugge. 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.