Em Roda de Fogo, Mendonça defende alternância de poder

Crédito: Guga Matos

Mendonça Filho, candidato a prefeito pela aliança Recife Acima de Tudo (DEM, PSDB, PTB e PL), visitou neste domingo (08/11) a comunidade Roda de Fogo, no bairro dos Torrões, afirmou que Marília (PT) e João (PSB) fazem parte do mesmo grupo que comanda o Recife há 20 anos e abandonou a cidade. Ao reafirmar seu compromisso de retomar a liderança da capital, Mendonça lembrou que tem muito trabalho a fazer após 20 anos de gestões fracassadas e negligentes do PT e PSB. “Herdaremos muitos problemas na educação, na saúde, na segurança e na mobilidade urbana, para citar alguns setores. Mas é possível recuperar o tempo perdido e nos próximos quatros anos vamos recolocar o Recife no rumo do crescimento”, disse.

Durante a visita, o democrata ouviu apelos para resgatar o Recife e devolver a identidade da cidade. Foram pedidos distintos: melhorias no comércio dos bairros, reforço na limpeza urbana e aumento da rede de saneamento básico, maior oferta de abastecimento de água – problema agravado principalmente durante a pandemia da Covid-19 -, concursos públicos para elevar o quadro de servidores na saúde básica, reforma e modernização de postos de saúde e, como tem sido comum durante a campanha eleitoral, a redução da elevada carga de impostos e taxas pagos por muitos trabalhadores, sobretudo aqueles que sobrevivem dos pequenos negócios.

“Nosso plano de governo contempla iniciativas concretas para recriar um ambiente favorável ao empreendedorismo no Recife. A gestão pública não pode ser inimiga do trabalhador, não pode ser antiempreendedora. E a minha e de Priscila não será, pelo contrário, seremos próximos do setor produtivo”, afirmou Mendonça. O democrata reiterou que a população pode ter a certeza de que a partir de janeiro de 2021 terá um prefeito amigo dos empreendedores. “Comigo, os pequenos negócios serão valorizados, o comércio nos bairros estimulado, simplificando a abertura de atividades sem estrangular o orçamento dos trabalhadores”.

De acordo com Mendonça, uma cidade antiprodutiva gera consequências negativas por inúmeros setores, como saúde, educação, mobilidade urbana, turismo e cultura, meio ambiente e tecnologia. Para o democrata, quando a gestão municipal se concentra apenas em engordar os cofres públicos com a elevação na arrecadação de impostos e multas, sem oferecer o devido retorno em melhoria dos serviços, pune a população causando ainda mais problemas.

“Os postos de saúde ficam como estão hoje, sem medicamentos e profissionais, com filas de espera para simples exames ou consultas”, ressaltou. “Os engarrafamentos se tornam cada vez mais constantes, a violência aumenta em locais potenciais para o turismo, as atividades econômicas migram para outras cidades. A ausência de creches reduz a produtividade na economia, por que os pais não têm onde deixar seus filhos para trabalhar. A péssima qualidade na educação básica formará profissionais deficientes. Essa gestão sanguessuga de impostos e taxas acaba a parti de janeiro de 2021”, atestou.

A contadora Márcia Maria da Silva, 43 anos, que trabalha na comunidade Roda de Fogo, pediu a Mendonça que, ao assumir a prefeitura, olhe por demandas graves que precisam de mudança urgente. “Falta água em muitos bairros carentes, o esgoto continua um tormento. A mobilidade no Recife se tornou um pesadelo, o uso do solo está sem lei e a saúde agoniza. A população não aguenta mais tanta promessa”, declarou. Márcia disse ter acompanhado a gestão do democrata no Ministério da Educação (MEC) e, que por isso, ele é o mais capacitado para tirar o Recife do atraso. “Mendonça fez muito pela educação, já provou que é o gestor que a cidade precisa. No MEC, ele se credenciou ainda mais para fazer o Recife voltar a crescer”, pontuou.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.