Geraldo entrega Compaz Dom Helder Camara, a quarta fábrica de cidadania do Recife

Foto: Andréa Rêgo Barros/PCR

 

Novo Compaz fica no Coque e foi inaugurado neste sábado (19) em cerimônia restrita para convidados, em função da pandemia da Covid-19

O Recife ganha a quarta fábrica de cidadania da cidade. O Compaz Dom Helder Camara, na comunidade do Coque, começa a funcionar já com mais de 3.600 pessoas inscritas para as atividades. O novo Compaz tem 6.324,80 metros quadrados, sendo 3.610,85 de área construída e possui piscina, quadra poliesportiva, dojô para artes marciais, sala Mãe Coruja, Espaço do Empreendedorismo, Estúdio de Rádio, TV e Fotografia e uma série de outros serviços de cidadania, cultura, esportes e lazer, seguindo o modelo de sucesso que garantiu ao Compaz o reconhecimento como melhor programa de combate à desigualdade social do Brasil, prêmio entregue em 2019 pela Oxfam Brasil, Cidades Sustentáveis.

A inauguração foi realizada em cerimônia restrita, em função dos protocolos sanitários necessários pela pandemia da covid-19, com a presença do prefeito Geraldo Julio e do governador Paulo Câmara. O investimento foi de R$ 7 milhões, sendo R$ 5 milhões da Prefeitura do Recife e R$ 2 milhões do Governo do Estado. O projeto da quarta Fábrica de Cidadania do Recife leva assinatura do arquiteto Zeca Brandão.

“Inauguramos o quarto Compaz do Recife. O Compaz Dom Helder, é o Compaz da democracia e do combate à desigualdade social. A Fábrica da Cidadania, aqui no Coque, para atender todos os bairros da redondeza. A gente está muito feliz. No Brasil, só existem quatro Compaz, e os quatro estão aqui no Recife”, disse o prefeito Geraldo Julio.

“É uma satisfação muito grande estar aqui hoje, nesse mês de dezembro, podendo inaugurar mais um Compaz. Esse lugar que mais uma vez está muito bonito, e que vai servir a tanta gente para fazer cidadania e vai ajudar quem mais precisa a sonhar. É com sonhos que a gente constrói, com certeza, uma realidade melhor com trabalho, dedicação e acima de tudo com muitas e muitas parcerias”, falou o Governador Paulo Câmara.

A dona de casa Ana Lúcia, uma das primeiras moradoras da comunidade, subiu ao palco representando as famílias do Coque. “Esse projeto é maravilhoso para a comunidade, para as crianças e para os adolescentes e jamais a gente iria imaginar que um projeto tão lindo como esse ia chegar aqui na comunidade. Estou muito feliz!”, disse emocionada.

Durante a cerimônia, houve um momento de lembrança a Elzita Santa Cruz, homenageada na praça interna do Compaz e que se tornou uma grande elegia a democracia e a resistência. O seu filho Marcelo Santa Cruz leu uma homenagem escrita pela família e o jornalista e ex-preso político Marcelo Mário Melo leu uma carta manifesto assinada por 24 presos políticos ao lado de Marcelo Santa Cruz. A praça situada na área central do Compaz homenageia as mães do Recife em nome de Elzita Santa Cruz, mulher guerreira, que devotou sua vida à busca por seu filho Fernando Santa Cruz, desaparecido em 1974 pela ditadura.

Convidado para a inauguração, o empreendedor social e CEO da Gerando Falcões, Edu Lyra, que é um grande entusiasta do Compaz, também participou do evento de inauguração. “Está aqui exatamente o que significa o melhor para os mais pobres. Quando olho aquela comunidade aqui ao lado, exatamente uma comunidade como essa que eu nasci em São Paulo, eu começo a pensar que se as favelas todas do Brasil tivessem Compaz como esse, com certeza, teríamos menos violência, menos tráfico e muito mais cidadania, cultura, oportunidade, desenvolvimento e futuro. Vocês criaram aqui uma tecnologia social exemplar e de referência para o Brasil”, disse.

COMPAZ DOM HELDER – O Compaz Dom Helder Câmara tem como carro-chefe a Biblioteca Clarice Lispector. Esta será a sexta biblioteca pública municipal da Rede de Bibliotecas pela Paz. A Biblioteca Clarice Lispector está dividida em seis espaços com capacidade para 10 mil títulos e ilha de computadores, com 10 máquinas. Destaque para a área destinada para a primeira infância, sala da Unidade de Tecnologia (UTEC), da secretaria de Educação do Recife (Seduc). A biblioteca também conta com recepção, salão principal, além das salas para a gestão do espaço e tratamento técnico dos livros. Possui 148,68 metros quadrados. A Rede de Bibliotecas pela Paz também está inserida na Secretaria de Segurança Urbana do Recife.

Neste equipamento os diferenciais são a sala do projeto Mãe Coruja, o Espaço do Empreendedorismo, a Casa da Justiça e Cidadania, os estúdios de Rádio, TV e Fotografia, e o jardim de inverno. Os bairros diretamente beneficiados, no raio de 1km, são: Ilha do Leite, Cabanga, Ilha Joana Bezerra, São José, Coelhos e Paissandú.

O novo Compaz terá uma exposição permanente sobre a vida e obra de Dom Helder Câmara. A concepção museográfica vem de exposição anterior que celebrou os 100 anos de Dom Helder e foi adaptada para eternizar o Dom da Paz. A exposição é fruto de parceria com o Instituto Dom Hélder Câmara que firmou convênio com a Prefeitura do Recife, por meio da Secretaria de Segurança Urbana.

O equipamento conta ainda com um painel do artista plástico pernambucano Ferreira em azulejo, no térreo do prédio principal. Ele relata que se inspirou no título mais associado a Dom Hélder: o de Arcebispo de Olinda e Recife. “Fiz uma homenagem às duas cidades que ele amava”, conta. O painel tem 8m de altura por 3m de comprimento.

A área externa recebeu ficaram por conta de André Maciel, que inspirado no traço de Portinari, retrata Dom Helder em situação de graça. Com ele no painel de três faces estão o Pe. Henrique e a emblemática igreja das Fronteiras. Outra obra de arte em grafite constará na caixa d’água do complexo e retrata o Dom da Paz abençoando o equipamento e seus usuários, é de autoria de Júlio Cezar, o INSANO, responsável pelas faces gigantes de Ariano Suassuna e Miguel Arraes nos respectivos Compaz.

O local situado na frente do auditório é reservado espaço de convívio e para exposições temporárias. Presta homenagem ao fiel escudeiro do “Dom da Paz” e que foi morto durante a ditadura como forma de fazer calar sua luta, o Padre Henrique. Na abertura do equipamento acolherá a Exposição 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos de autoria do coletivo

A arquitetura singular do prédio permitiu a reserva, bem no centro do espaço do prédio principal, para um “jardim de inverno”. Simbolicamente representa a centralidade do tema do meio ambiente no discurso e luta de DHC. Homenageia as mães em nome de uma das mães mais emblemáticas de Pernambuco, Dona Elzita Santa Cruz, que devotou sua vida à busca por seu filho Fernando Santa Cruz, desaparecido pela ditadura.

 

REDE COMPAZ – Além do Compaz Dom Hélder Câmara (Coque) existem mais três Centros Comunitários da Paz em funcionamento no Recife. O Compaz Governador Eduardo Campos (Alto Santa Terezinha) foi inaugurado em 16 de março de 2016. O Compaz Escritor Ariano Suassuna (Cordeiro) abriu suas portas em 27 de março de 2017. Em 26 de dezembro de 2019 foi a vez do Compaz Governador Miguel Arraes (Caxangá). Os três equipamentos já em funcionamento somam mais de 40 mil pessoas cadastrados.

 

Além dos quatro equipamentos, já está em andamento a licitação para a construção do Compaz Educador Paulo Freire, no Ibura e existem projeto com recursos garantidos para mais duas unidades, uma no Pina e outra na Várzea, aguardando liberação do Governo Federal.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.