João Campos anuncia requalificação de equipamentos culturais e projeto para registro do Patrimônio Vivo do Recife

Em visita à Casa do Carnaval, no Dia Mundial da Arte, prefeito anunciou novidades para a cultura, além de fazer um balanço do AME Carnaval, que está concluindo o pagamento às 786 atrações e agremiações habilitadas

Pelas paredes, estandartes que ajudam a contar a história do Recife através daquilo que é mais valioso para a cidade: as pessoas. Localizada no coração da capital pernambucana, a Casa do Carnaval, no Pátio de São Pedro, foi o local escolhido pelo prefeito João Campos para anunciar o início de um processo continuado de requalificação de espaços dedicados à cultura. O equipamento será o primeiro contemplado pelo Movimento de Valorização dos Equipamentos Culturais (MOVE) e tem reabertura programada para este ano. Os investimentos se estendem a outros espaços, como a Escola de Frevo Maestro Fernando Borges, na Encruzilhada. O anúncio marcou as comemorações do Dia Mundial da Arte na capital, que ainda firmou o compromisso de levar para a Câmara do Recife a discussão sobre a criação do registro do Patrimônio Vivo do Recife, em reconhecimento a mestres e mestras que asseguram a manutenção das mais antigas e simbólicas tradições da cultura da cidade.

Na ocasião, o prefeito João Campos ainda destacou os esforços da gestão para chegar junto e ajudar os trabalhadores e trabalhadoras recifenses envolvidos na Folia de Momo neste período de pandemia, com a criação do Auxílio Municipal Emergencial Carnaval (AME Carnaval). “Desde o início, a gente elencou a prioridade de atenção à cultura, sobretudo em um momento como este de pandemia, com o distanciamento das relações e dos convívios a partir da não possibilidade dos encontros A gente tem que ajudar a cultura, que é feita de encontros. O AME Carnaval foi criado na cidade e temos mais de 90% dos benefícios pagos para as nossas agremiações e atrações que se apresentaram no Carnaval anterior”, destacou o prefeito. “Além disso, temos outras ações, como o MOVE e o Chama Cultura, que fazem com que todos que fazem cultura no Recife sejam ouvidos. Vamos fortalecer os territórios da cidade, para manter acesa a chama da cultura”, garantiu o gestor.

A Casa do Carnaval receberá novos projetos expositivos e de climatização para voltar a receber o público em um futuro próximo, com adequações nas instalações e cuidados com o acervo. Na Escola de Frevo, haverá intervenções na fachada, mudança de piso, adaptação do banheiro para cadeirantes, além da criação de mais uma sala de aula, no térreo da escola, e de um palco para pequenas apresentações na área externa. Também será executado um novo projeto de refrigeração dos ambientes. Os dois espaços estão entre os responsáveis por salvaguardar tradições que contam a história da cidade desde os seus primeiros capítulos. A iniciativa da Prefeitura é voltada para ações revitalizadoras e de manutenção, nos equipamentos culturais, assegurando espaços de fomento à experimentação da arte cada vez mais atuantes e fortalecidos em suas propostas e provocações ao público.

Ao lado da vice-prefeita, Isabella de Roldão, do secretário de Cultura, Ricardo Mello, e do presidente da Fundação de Cultura da Cidade do Recife, José Manoel Sobrinho, o prefeito João Campos também anunciou a criação do registro do Patrimônio Vivo do Recife. O projeto de lei, elaborado por um grupo de trabalho, está em fase de conclusão para ser enviado à Câmara Municipal ainda neste mês de abril. “É muito importante para a nossa cidade reconhecer a sua história e apontar as referências para o futuro. A Lei do Patrimônio Vivo, que iremos apresentar apresentar à Câmara do Recife, será criada entendendo sobretudo, que a gente tem que valorizar as pessoas que nos inspiram, que nos dão a certeza de que a tradição recifense cultural terá sempre a sua chama acesa e que irão ajudar outras gerações a caminharem no caminho correto.”

A iniciativa celebra e reconhece, de forma efetiva, não só o patrimônio cultural do Recife, arranjo único e plural de saberes e fazeres ancestrais, mas principalmente aqueles que se dedicam a manter vivas as tradições, transformando e sendo transformadas pelo curso da história. “Temos uma grande expectativa de ver esta ideia logo transformada em Lei, após o debate com vereadores e vereadoras do Recife, fazendo com que o reconhecimento a agremiações, a mestres e mestras se concretize de uma maneira que vai além do agradecimento, mas tem impacto direto na vida destes que fazem a nossa cultura se perpetuar e se renovar, vivendo seu ofício e sua paixão, compartilhando seus saberes”, afirma o secretário Ricardo Mello.

AME CARNAVAL – A Prefeitura do Recife já pagou quase 100% dos benefícios do Auxílio Municipal Emergencial – AME Carnaval do Recife já realizados, totalizando cerca de R$ 4 milhões destinados a atrações artísticas e agremiações. Uma ajuda que chegou a pessoas como Graciene Caminha, diretora do Bloco Pierrô de São José. “Foi muito importante a criação do AME, a para amenizar o lado da necessidade financeira das agremiações. Eu agradeço muito por todos os carnavalescos”, disse. Gratidão também é o sentimento de Anderson dos Santos, presidente da Tribo Indígena Carijós do Recife. “Todo o valor foi revertido em cestas básicas e materiais de higiene para nossos integrantes e outros componentes. É uma gratidão enorme.”

Foto: Rodolfo Loepert/PCR

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.