Justiça Federal nega novos pedido da defesa do ex-prefeito do Cabo, Lula Cabral, que deve cumprir medidas cautelares

A Juíza da 34ª vara criminal de Pernambuco, Ethel Francisco Ribeiro, negou nesta segunda-feira (27), dois novos pedidos da defesa do ex-prefeito do Cabo de Santo Agostinho, Lula Cabral (PSB), investigado por desviar R$ 92,5 milhões do Instituto de Previdência dos servidores municipais (Caboprev)

Em um dos pedidos, a defesa solicitou a suspensão das medidas cautelares, definidas na operação Abismo, desencadeada pela Polícia Federal, em outubro de 2018. Entre as medidas estão a proibição de acesso às instalações da prefeitura, comparecimento periódico em juízo, proibição de manter contado com os demais réus, testemunhas e defesa, assim como o pagamento de fiança no valor de 180 salários mínimos.  O objetivo do pedido visava facilitar a disputa do ex-prefeito nas eleições de 2022, para deputado estadual, mas acabou sem sucesso.

Em outro pedido, Lula Cabral queria deixar de ser processado em Pernambuco para ser julgado em São Paulo, onde uma parte da quadrilha montada para assaltar fundos de previdência já responde processo. A Juiza negou as pretensões do ex-prefeito e ele continuará sendo processado na Justiça Federal de nosso estado.

Nas decisões, a Magistrada ressaltou que as medidas cautelares são pertinentes e que serão acompanhadas por ela. O processo do ex-presidiario, Lula Cabral, está pronto para julgamento, o que deverá acontecer nos primeiros meses de 2022, é por conta disso que tentaram essas manobras para mandar o julgamento para São Paulo. Não deu certo!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.