Justiça isenta campanha de João Campos de machismo

O juiz da 1ª Zona Eleitoral, José Júnior Florentino, decidiu pela retirada do ar da propaganda ofensiva da candidata do PT à Prefeitura do Recife, Marília Arraes, que tentava vincular machismo à campanha de João Campos (PSB). Com a decisão, a peça não poderá mais ser veiculada pela petista.

Segue a decisão:

Em primeiro lugar, a partir da análise do vídeo juntado aos autos, associado à degravação da mídia, é possível constatar que realmente a propaganda intenta incutir no eleitor, de forma subliminar, a ideia de que os Representantes adotam postura machista e desrespeitosa em relação às mulheres, além de criar estados mentais passionais, ao sugerir que, em virtude de pertencer ao gênero feminino, a Candidata Representada tem sido vítima de ataques desrespeitosos e machistas pelo Candidato Representante e pelo Partido ao qual ele é filiado (PSB). Não obstante, ao final da propaganda, a apresentadora afirma que o ataque levado a efeito pelo partido PSB contra a candidata Marília é um ataque a todas as mulheres.

O Candidato Representante, por sua vez, colaciona diversos documentos e relatos acerca da sua atuação como parlamentar, em favor das mulheres.

Junta, ainda, vídeo 2 contendo apoio de diversas mulheres detentoras de cargos eletivos em favor da sua candidatura ID 43554954.

Assim, ante tal panorama, apresenta-se como possível configuração de propagação de propaganda eleitoral negativa por meio de imputações desrespeitosas, injuriosas e difamatórias em face do candidato a Prefeito da coligação representante, visando ferir sua honra e imagem.

Decisão – 2020-11-25T180639.259

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.