Médicos alertam para necessidade de atenção a doenças do coração durante a pandemia

Especialista do Centro Diagnóstico Lucilo Ávila chama a atenção para a importância de cuidados contínuos. Dia do cardiologista é comemorado neste sábado, 14 de agosto

Principal causa de morte no mundo, as doenças cardiovasculares representam cerca de um terço dos óbitos registrados em nível global. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), mais de três quartos das mortes por doenças cardiovasculares ocorrem em países de baixa e média renda. No Brasil, entre 1º de janeiro de 2021 e esta sexta-feira (13/8), 247.890 pessoas morreram em decorrência desse tipo de doença, de acordo com o cardiômetro – um indicador do número de mortes por doenças cardiovasculares no país – criado pela Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC). Neste sábado (14/8), é comemorado o Dia do Cardiologista. Em alusão à data, especialistas reforçam a necessidade de atenção com as doenças do coração durante a pandemia da Covid-19.

As doenças cardiovasculares, afecções do coração e da circulação também representam a principal causa de mortes no Brasil. São mais de 1.100 mortes por dia, ou seja, cerca de 46 por hora e 1 morte a cada 1,5 minutos (90 segundos). As doenças cardiovasculares causam o dobro de mortes que as motivadas por todos os tipos de câncer juntos; 2,3 vezes mais que as todas as causas externas (acidentes e violência); três vezes mais que as doenças respiratórias e 6,5 vezes mais que todas as infecções,incluindo a Aids.

A Sociedade Brasileira de Cardiologia estima que, até 31 de dezembro de 2021, quase 400 mil brasileiros morrerão por doenças do coração e da circulação. “Muitas dessas mortes podem ser evitadas quando há prevenção e tratamento adequado dos fatores de risco. A OMS estima, por exemplo, que 80% das mortes por doenças cardiovasculares no mundo seriam evitadas apenas com mudanças no estilo de vida”, ressalta o médico cardiologista Carlos Japhet, da equipe de medicina nuclear do Centro Diagnóstico Lucilo Ávila.

A importância dos cuidados ficou ainda mais evidente durante a pandemia. De acordo com Japhet, foi observada uma queda na busca por serviços ambulatoriais principalmente nas fases mais graves da crise sanitária, aumentando as internações e mortes por doenças cardiovasculares. “Durante a pandemia, pacientes apresentaram quadros mais graves ou morreram muito mais porque não foram atendidos ou pararam de tomar remédio por não receberem orientação ou mesmo a receita médica. Tivemos um índice maior de procedimentos como a angioplastia em pacientes mais graves e com maior mortalidade, se compararmos com o mesmo período do ano anterior. É hora de retomar os cuidados, buscar atendimento ambulatorial e fazer o check-up”, destaca o especialista. 

Saiba mais:


As doenças cardiovasculares são um grupo de doenças do coração e dos vasos sanguíneos e incluem:

Doença coronariana – doença dos vasos sanguíneos que irrigam o músculo cardíaco


Doença cerebrovascular – doença dos vasos sanguíneos que irrigam o cérebro


Doença arterial periférica – doença dos vasos sanguíneos que irrigam os membros superiores e inferiores


Doença cardíaca reumática – danos no músculo do coração e válvulas cardíacas devido à febre reumática, causada por bactérias estreptocócicas


Cardiopatia congênita – malformações na estrutura do coração existentes desde o momento do nascimento


Trombose venosa profunda e embolia pulmonar – coágulos sanguíneos nas veias das pernas, que podem se desalojar e se mover para o coração e pulmões

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.