Mendonça e Priscila anunciam propostas para a saúde da mulher com garantia de exames preventivos e atenção às gestantes em toda a rede pública

Crédito: Guga Matos

O candidato a prefeito do Recife, Mendonça Filho (DEM), afirmou, nesta sexta-feira (06/11), que a partir de janeiro de 2021 vai direcionar iniciativas específicas na saúde para as mulheres, como a realização de exames periódicos, acompanhamento do pré-natal e parto para as gestantes, requalificação de maternidades e ampliação da cobertura de rede. “O descaso das gestões do PT e PSB em relação às iniciativas de saúde específicas para as mulheres vem de anos, principalmente no que diz respeito ao monitoramento das gestantes, que durante a gravidez passam até oito meses para fazer a primeira ultrassonografia. Isso vai acabar e nós vamos mudar essa realidade com ações sólidas para garantir um atendimento humanizado às mulheres em todo o Recife”, disse Mendonça.

De acordo com o democrata, a saúde será um dos setores em que ele e candidata a vice-prefeita na aliança Recife Acima de Tudo (DEM, PSDB, PTB e PL), Priscila Krause, vão priorizar ao assumir a prefeitura. Entre as iniciativas, Mendonça informou que haverá o Aniversário da Saúde, destinado às mulheres com mais de 40 anos, e que possibilitará a realização anual, no mês do aniversário, de três importantes e imprescindíveis exames: mamografia (rastreio por imagem que pode detectar nódulos), ultrassom endovaginal (também chamado transvaginal, para avaliação de órgãos internos, como útero, trompas e ovários) e exame preventivo (Papanicolau, para detectar câncer de colo de útero ou demais DSTs).

Complementando a linha e ações, Priscila Krause destacou que, a partir de janeiro de 2021, a gestão dos democratas vai garantir a realização de todo o pré-natal das gestantes na rede de saúde, própria e conveniada, cuja articulação será realizada diretamente com as maternidades municipais para que sejam garantidas as vagas no período previsto para o parto. Para isso, ressaltou, é necessário requalificar as maternidades, ampliar a cobertura da rede e garantir a realização dos exames, inclusive através de convênios com os serviços privados de saúde.

“Criamos uma proposta robusta direcionada à saúde da mulher para garantir um atendimento humanizado em todo o Recife e, sobretudo, nas comunidades mais carentes. O desafio é muito grande, ainda mais em relação ao acompanhamento das gestantes e do pré-natal”, disse Priscila. Para a democrata, é possível reverter o atual quadro de desassistência médica que as gestantes enfrentam. “Sabendo o número de gestantes e a idade gestacional dessas mães teremos um cálculo de quantas mulheres darão à luz em determinados períodos para garantir as vagas necessárias nas maternidades. Isso passa por uma gestão das informações e nós faremos uma mudança radical nesse sentido”, pontuou.

Os democratas ressaltaram, ainda, as estatísticas assustadoras em relação à demora para a realização de exames distintos. Atualmente, na rede pública de saúde do Recife há 25.348 exames ultrassonográficos (todo tipo de ultrassonografia), 2.853 consultas em ginecologia e 109 consultas em mastologia. Mendonça e Priscila também reafirmaram o compromisso de requalificar as principais maternidades do Recife: Bandeira Filho (Afogados), Arnaldo Marques (Ibura) e Barros Lima (Casa Amarela), bem como o Hospital da Mulher (Curado).

Para a médica cardiologista Dra. Maria Antonieta Albuquerque, que também é intervencionista, as propostas apresentadas por Mendonça e Priscila são muito importantes para elevar a qualidade do atendimento nas unidades de saúde e garantir mais segurança às mulheres, principalmente às gestantes. “A grande maioria dos partos é considerada de baixo risco, mas há os casos de início de gestação com baixo risco e que depois de alguns meses apresentam intercorrências”, disse. Segundo ela, o mais prudente e seguro é que as gestantes saibam com antecedência onde darão à luz. “Quando elas conseguem fazer o pré-natal nos postos de saúde, muitas vezes entram em trabalho de parto e não têm uma maternidade definida para o nascimento da criança, o que gera insegurança e desconforto. Sem contar que pode haver intercorrências sérias que necessitam de todo um suporte médico para atendê-las e garantir sua segurança e da criança. Esse acompanhamento proposto é fundamental para evitar perdas”, afirmou.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.