‘Não queremos fazer parte da política’, diz comandante do Exército

Foto: Marcos Corrêa/PR

Em uma live promovida pelo Instituto para a Reforma das Relações entre Estado e Empresa, o comandante do Exército, Edson Leal Pujol, disse “não queremos fazer parte da política, muito menos deixar ela entrar nos quartéis”, registra a Folha.

Pujol respondia a um questionamento do ex-ministro da Defesa Raul Jungmann, integrante do instituto, sobre o papel dos militares na política.

O comandante do Exército, que raramente faz manifestações públicas, não criticou seus colegas de farda que ocupam cargos no governo de Jair Bolsonaro (9 dos 23 ministros, incluindo o chefe de Pujol, Fernando Azevedo e Silva).

Mas afirmou que, “se for para chamar [um militar para o governo], é decisão do Executivo”.

Não parece coincidência que as declarações do chefe do Exército, mais cautelosas, e a subida de tom do general Santos Cruz contra Bolsonaro nas redes sociais tenham ocorrido no mesmo dia.

Fonte: O Antagonista

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.