O impacto da iniciativa feminina durante as eleições em São Lourenço da Mata

O coletivo Mulheres na História foi criado no início de 2019 por estudantes do Ensino Médio de uma escola estadual da cidade de São Lourenço da Mata. Com isso, passaram a integrar a organização Girl Up, uma iniciativa da Fundação das Nações Unidas que busca o empoderamento de meninas e a transformação a partir dele. Foram assim, o primeiro grupo Girl Up de Pernambuco. Após algum tempo, o Mulheres na História passou a desenvolver projetos visando a transformação no meio social e procuraram atuar mais fortemente pelos direitos das mulheres no município, deixando de lado o Girl Up e se consolidando como apenas coletivo feminista Mulheres na História.

Atualmente com 10 integrantes, o grupo tem como objetivo atingir a população de todas as idades, com ênfase nos moradores de São Lourenço da Mata, afim de desenvolver o senso crítico sobre os problemas encontrados na cidade e que atingem, principalmente, a população feminina.

Observando a estrutura política da cidade e a falta de representação feminina na câmara dos vereadores, dia 03 de outubro de 2020 o coletivo inaugurou o projeto Mulheres na Política que tinha como objetivo inicial promover a candidatura de mulheres no município.

Estudando sobre a cidade e observando as reivindicações dos são lourenceses, o projeto tomou maiores proporções e passou a ter como principal pauta mostrar à população o que cada cidadão ou cidadã quer e merece. “Afinal, espaço é direito e nada mais justo que todos os habitantes conheçam os seus”. A partir daí foram lançadas estratégias que respeitassem o distanciamento social dentro do período eleitoral. Assim, no instagram do coletivo, @mulheresna.historia, foram lançados IGTV’S com a presença de convidados que falassem sobre pilares locais como a nossa economia, cultura, política e educação da maneira mais objetiva e íntima possível e posts didáticos sobre política. Atos apartidários nas ruas que apresentassem algumas propostas e perfis de candidatas à vereadoras e prefeitas através da colagem de lambe-lambes pela cidade, que não gerasse aglomerações.

E, por fim, assumindo sua cartada final, um mini-documentário, transmitido na plataforma do youtube, produzido acerca do contexto socioeconômico e político feminino da cidade, a fim de gerar a principal reflexão que fez o projeto surgir: Por que mulher não vota em mulher?

A reflexão que as integrantes do Mulheres na História pretendem deixar em cada cidadão e cidadã com esse projeto é que “todos nós somos importantes para as eleições de nossos municípios de forma individual, seu voto conta porque ele te representa, e, sendo representado, você tem direito de reivindicar e absolutamente ninguém pode te tirar esse direito. Então, a partir disso faça sua participação na eleição, exerça o direito que está lhe sendo tomado! Vote consciente!”

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.