Paulista: Yves Ribeiro tem 68%; Padilha, 32%

Ex-prefeito do município por dois mandatos, Yves Ribeiro (MDB) tem 68% das intenções de voto para Paulista neste segundo turno, revela pesquisa Exatta/Diario. Francisco Padilha tem 32%. Foram ouvidos 400 eleitores nos dias 21 e 22 de novembro. A margem de erro é de 4,9%. O nível de confiança é de 95%. A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) com o número PE-03936/2020.

Considerando os votos totais, ou seja, sem exluir os brancos e nulos, Yves Ribeiro tem 47,3%, contra 22,3% de Francisco Padilha. Ninguém, branco e nulo somam 16,3%. Não sabem ou não opinaram, 14,2%.

Na pesquisa espontânea, quando os nomes dos candidatos não são apresentados ao eleitor, Yves Ribeiro alcança 45%, contra 21,3% de Francisco Padilha. Ninguém, branco e nulo são 15,3%. Outros 18,5% não souberam responder.

A pesquisa também perguntou em quem os eleitores não votariam “de jeito nenhum”. Neste caso, Francisco Padilha tem 32,3%. Yves Ribeiro, 16,3%. Outros 14,5% afirmaram que rejeitam todos e 29,5% que não rejeitam nenhum. Não souberam dizer ou não opinaram, 7,5%.

No primeiro turno, Yves Ribeiro recebeu 51.351 votos (34,98%), enquanto Padilha teve 38.372 votos (26,14%).

Trajetória
Yves Ribeiro já venceu cinco eleições municipais. Em 1992, com 4.140 votos, foi eleito prefeito de Itapissuma. Como não havia, na época, a possibilidade de reeleição, em 1996 ele se lançou candidato a prefeito de Igarassu. Foi eleito e, em 2000, reeleito. Quatro anos depois, em 2004, ele novamente se candidatou a prefeito, desta vez em Paulista. Venceu a eleição e foi reeleito em 2008. 

Francisco Padilha está se candidatando pela primeira vez. Ele era chefe de gabinete do atual prefeito, Júnior Matuto (PSB), e foi lançado por ele para a disputa no fim do ano passado. Matuto foi o sucessor de Yves em Paulista, sendo eleito em 2012 e reeleito em 2016. Ele é investigado por desvio de dinheiro público e chegou a ser afastado do cargo duas vezes. A primeira, no dia 21 de julho deste ano.

O vice-prefeito de Paulista, Jorge Carreiro, assumiu a chefia do Executivo municipal por aproximadamente 16 dias, até que o ministro do STF Dias Toffoli determinou a volta do socialista ao cargo. Matuto reassumiu a gestão no dia 10 de agosto. Junior Matuto foi afastado de suas funções pela segunda vez em 22 de outubro, por uma determinação do Tribunal de Justiça de Pernambuco. No dia 18 de novembro, o ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal, concedeu uma liminar que autoriza a volta do ex-prefeito de Paulista, Junior Matuto (PSB) ao cargo. A Procuradoria Geral da República apresentou recurso para tentar derrubar a liminar.

Diário de Pernambuco

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.