PCR abre 80 novos leitos de UTI para covid-19 no Hospital Eduardo Campos da Pessoa Idosa

Foto: Andréa Rêgo Barros/PCR

O anúncio foi feito pelo prefeito Geraldo Julio e pelo prefeito eleito João Campos na tarde desta quarta-feira (23). Os leitos serão ativados com os equipamentos dos hospitais de campanha que foram desativados

 

O Hospital Eduardo Campos da Pessoa Idosa (HECPI), localizado no bairro da Estância, passa a reforçar, a partir da primeira quinzena de janeiro, a estrutura da Prefeitura do Recife para atendimento de pacientes com suspeita ou confirmação da covid-19. Ao todo, na unidade, serão disponibilizados 80 leitos de UTI, de equipamentos já adquiridos anteriormente pela prefeitura para os hospitais de campanha. Juntando-se aos 120 que continuam em funcionamento na rede municipal de saúde. Com a ativação dos novos leitos o Recife terá um total de 342 leitos dedicados à covid-19, dos quais 200 UTIs e 142 enfermarias. O prefeito Geraldo Julio e o prefeito eleito João Campos tomaram a decisão em conjunto e fizeram o anúncio na tarde desta quarta-feira (23).

“Em uma decisão conjunta na equipe de transição do atual governo com a próxima gestão, chegamos à conclusão da necessidade de abertura de mais leitos de UTI na cidade do Recife. Por isso, a gente vai converter o Hospital do Idoso para a parte de internação dele receber pacientes com covid. O Recife hoje tem 120 leitos de UTI, 93 deles estão ocupados, sendo 45 com pacientes moradores da cidade. Com a conversão do Hospital do Idoso a gente vai passar para 200 leitos de UTI da Prefeitura do Recife para o atendimento dos pacientes da covid.”, comunicou o prefeito Geraldo Julio.

“Estamos aqui para anunciar que foi tomada a decisão, conversando com a gestão do prefeito Geraldo Julio e com a nossa equipe de transição, que parte da estrutura do Hospital do Idoso será destinada para o acolhimento das pessoas com covid. Serão 80 leitos de UTI e a Prefeitura faz esse esforço junto com o Governo do Estado, para possibilitar que as pessoas de nossa cidade, principalmente as pessoas idosas, que representam o maior grupo de risco, tenham o acolhimento e possam ter a estrutura necessária para fazer o tratamento de covid”, completou o prefeito eleito João Campos.

Toda a estrutura de internamento do hospital, que conta com 62 vagas de enfermaria e 10 de UTI, passa a dispor de equipamentos para garantir o suporte de tratamento intensivo voltado para a covid-19. Além desses, outros oito leitos localizados na sala de Recuperação do Bloco Cirúrgico também serão transformados em UTIs, totalizando assim 80 novas vagas de UTI à disposição dos recifenses. Os respiradores e os demais equipamentos médico-hospitalares são parte dos aparelhos que foram utilizados nos hospitais de campanha da Prefeitura que foram desativados.

Apesar da mudança de perfil em seu internamento, a unidade continuará com o ambulatório aberto. No entanto, os pacientes com suspeita ou confirmação de covid-19 terão entrada separada dos demais atendimentos. O HECPI continuará disponibilizando mais de 15 especialidades de saúde, como geriatria, cardiologia, fisioterapia e fonoaudiologia. Além disso, o Serviço de Apoio ao Diagnóstico Terapêutico, que oferece exames laboratoriais e de imagem, como tomografia e ressonância magnética, também será mantido.

“O Hospital da Pessoa Idosa tem no módulo de internação uma entrada separada na parte de exames e consultas. Isso permite que os exames, que são marcados pela prefeitura, e as consultas com especialistas possam continuar acontecendo, mesmo que a parte de internação do hospital atenda pacientes com covid. Esses equipamentos que vão formar os 80 leitos de UTI foram adquiridos pela Prefeitura e utilizados nos hospitais de campanha. Agora encontramos uma nova função, mais uma vez atendendo a população do Recife, no momento em que o número de casos esperado para o primeiro trimestre exige medidas como essa, de preparação da nossa cidade”, explicou o secretário de Saúde do Recife, Jailson Correia.

No pico da pandemia da covid-19, entre os meses de março e abril, a Prefeitura do Recife construiu sete hospitais de campanha em um prazo de 45 dias. No total, foram estruturados 1.054 leitos, sendo 313 de UTI e 741 de enfermaria.

Os hospitais de campanha municipais foram construídos na Rua da Aurora, em Santo Amaro (Hospital Provisório Recife 1); nos Coelhos (Hospital Provisório Recife 2); na Imbiribeira, (Hospital Provisório Recife 3); e nas áreas externas do Hospital da Mulher do Recife (HMR), no Curado; das Policlínicas Amaury Coutinho, na Campina do Barreto; Barros Lima, em Casa Amarela; e Arnaldo Marques, no Ibura.

Além dos sete hospitais de campanha, a Secretaria de Saúde do Recife ainda disponibilizou leitos na Policlínica Agamenon Magalhães, em Afogados, e no Hospital Evangélico de Pernambuco, unidade filantrópica conveniada à Prefeitura do Recife.

Em agosto, após mais de cinco meses de queda sustentada nos indicadores da pandemia, a Prefeitura iniciou a desativação de seis hospitais de campanha. Atualmente, apenas o Hospital Provisório Recife 1, localizado na Rua da Aurora, em Santo Amaro, permanece funcionando completamente – com 100 leitos de UTI e 60 de enfermaria. Outros 102 leitos também estão disponíveis no Hospital Evangélico e nas policlínicas municipais, totalizando 262 em funcionamento. Todos são regulados pelo Governo de Pernambuco.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.