PCR destina 500 testes por semana para usuários dos aplicativos Dycovid e Atende em Casa

Foto: Andréa Rêgo Barros

Anúncio feito pelo prefeito Geraldo Julio, nesta terça (30), vai fortalecer a estratégia de rastreamento da doença com a testagem das pessoas que tiveram contato com casos confirmados de covid-19

Chega a uma nova etapa a parceria entre a Prefeitura do Recife e o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) para aprimorar a integração dos aplicativos Dycovid, que calcula e alerta as pessoas sobre o risco de contaminação do novo coronavírus, e Atende em Casa – ferramenta da PCR e do Governo do Estado que garante orientações e teleatendimento para pacientes com suspeita do novo coronavírus. Agora, a PCR e o MPPE destinarão aos usuários dos aplicativos 500 testes do tipo RT-PCR por smeana para diagnóstico da covid-19. O anúncio foi feito pelo prefeito Geraldo Julio e pelo promotor de Justiça e secretário de Inovação e Tecnologia do Ministério Público Antônio Rolemberg, nesta terça-feira (30).

O prefeito Geraldo Julio falou sobre a testagem das pessoas que tiveram contato com casos confirmados de covid-19, como fortalecimento da estratégia de rastreamento da doença. “Observando o desenvolvimento da pandemia em outros lugares do mundo, que iniciaram antes do Recife, a gente pode planejar as etapas aqui na cidade. Agora, o rastreamento ganha muita importância, e o Dycovid é uma excelente ferramenta para fazer essa tarefa. Nós vamos disponibilizar 500 exames do tipo RT-PCR por semana, para serem indicados pelo Dycovid. Isso vai permitir que a gente faça, mais cedo, a identificação dos infectados e a recomendação para que a pessoa faça o isolamento, evitando novas contaminações”, explicou o prefeito.

Disponível para os celulares com sistema operacional Android e IOS, o aplicativo pode ser baixado no celular atraves do link play.google.com/dycovid. Para fazer uso da ferramenta é necessário fornecer o número de celular, que será validado através de um número de verificação, que será enviado por mensagem. Após a validação, o usuário poderá acessar o aplicativo, onde terá acesso às informações como; grau de risco de contaminação, mapa de risco de contaminação, guia customizável com informações sobre o coronavírus, entre outras opções.

Desde o fim de maio, a integração das plataformas permite que os usuários do Dycovid, com sintomas mais importantes sejam direcionados para teleatendimento pelo Atende em Casa. O Dycovid, do MPPE e Porto Digital, mapeia, de forma anônima e automatizada, o risco de contaminação, levando em consideração a proximidade entre os celulares das pessoas que estão cadastradas na ferramenta e a duração do encontro. A estratégia de uso dos aplicativos como instrumento de rastreamento da doença vai possibilitar agora a testagem das pessoas que tiveram contato com casos confirmados de covid-19.

“O Ministério Público recebe com alegria e valida a iniciativa da Prefeitura do Recife em adotar o Dycovid como ferramenta para acompanhar as pessoas que tiveram contato com quem tem covid-19 e assim monitorar a doença. Essa ferramenta foi desenvolvida com vários países discutindo junto com a gente. Esperamos que a população se conscientize, entenda a necessidade de ter a ferramenta instalada no seus celulares e baixe o app, que agora dá a possibilidade de testagem através das indicações que a ferramenta vai dar”, afirmou, por videoconferência, o promotor de Justiça e secretário de Inovação e Tecnologia do Ministério Público, Antônio Rolemberg.

Para apontar o grau de risco de contaminação, o sistema do Dycovid apresenta o status individual de cada usuário dividido por nível, tendo como base o contato com pessoas e/ou lugares infectados. O nível zero significa que não existiu contato com nenhuma pessoa infectada desde o momento em que o aplicativo foi instalado. Já o nível um aponta que houve contato com um ou mais infectados a uma proximidade de menos de oito metros por, pelo menos, três minutos. O nível dois indica que existiu proximidade com uma ou mais pessoas contaminadas a menos de cinco metros por, pelo menos, sete minutos. O nível três significa que o usuário esteve a menos de três metros de pessoas que testaram positivo para o novo coronavírus por, no mínimo, dez minutos. O aplicativo é atualizado a cada seis horas, e o status pode mudar.

A partir da integração das ferramentas, o Dycovid disponibiliza o acesso ao aplicativo Atende em Casa para as pessoas que estejam nos níveis de risco um, dois e três. Quem apresenta sintomas de gravidade passa por uma avaliação prévia e, quando necessário, recebe teleatendimento por vídeochamada com enfermeiro ou médico, além de ser monitorado. Mais de 45.600 mil usuários se cadastraram no aplicativo Atende em Casa. Foram realizadas mais de 19.500 mil teleorientações, por médicos ou enfermeiros, às pessoas com sintomas ou condição de gravidade e mais de 4.800 mil pacientes, que passaram pela teleorientação, foram orientadas a procurar um serviço de saúde para consulta.