Petrolina: Justiça suspende divulgação de pesquisa por supostas irregularidades

 

A imagem circulou em Petrolina após a decisão judicial

O Partido Verde entrou com uma representação alegando supostas irregularidades

Após diversas polêmicas envolvendo a pesquisa de intenções de votos na disputa pela Prefeitura de Petrolina, elaborada pelo Instituto Potencial Consultoria e Pesquisas Eireli, a Justiça eleitoral, nesta segunda-feira (31), determinou que o Instituto se abstenha de promover a publicação do estudo.

De acordo com a decisão do juiz Elder Muniz de Carvalho Souza, divulgada nesta segunda-feira (31), após a análise dos argumentos do Partido Verde (PV), que entrou com a representação contra a pesquisa por supostas irregularidades, e considerando o conjunto de informações, “vê-se ser imprescindível a adoção de medidas visando cessar a divulgação da pesquisa impugnada diante da ausência de requisito legal”.

Dessa forma, o juiz determinou que a divulgação da pesquisa seja interrompida até o julgamento do mérito do pleito. Também foi solicitado que, no mesmo meio utilizado para inicialmente publicar a pesquisa, seja divulgada a seguinte informação: “Por determinação judicial encontra-se suspensa a divulgação da pesquisa eleitoral anteriormente divulgada”.

Ainda foi determinado que seja avisado a todos os meios que divulgaram a pesquisa sobre a decisão da Justiça. A Potencial Consultoria e Pesquisas Eireli foi intimada e terá que apresentar sua defesa em dois dias.

Na representação, entre outros argumentos, o Partido Verde sustentou que a pesquisa não utilizou os fatores de ponderação exigidos em lei quanto ao grau de instrução e nível econômico do eleitorado.

Ainda na representação, sobre a pesquisa, o PV disse que “não se pode sequer verificar, por exemplo, se 100% dos entrevistados são do gênero masculino ou feminino, analfabetos de baixa renda ou se são de alto grau de instrução e de nível econômico elevado, ficando assim prejudicada a análise da mostra apresentadas não se podendo conhecer à qual realidade o resultado da pesquisa registrada e divulgada está inserida”.

Já o ex-prefeito de Petrolina, Odacy Amorim (PT), se demonstrou insatisfeito desde o início da publicação da pesquisa. Em entrevista ao blog ele fala: “Fico feliz pelo posicionamento da Justiça, mas muito triste pelo desmando e poderio econômico que Petrolina vem vivendo”. O ex-deputado estadual menciona que em 2012 houve uma publicação de pesquisa em Petrolina que teve o mesmo sentido e apresentou dados que não pareceram verídicos já que o resultado eleitoral foi bem diferente do que foi retratado.

“Isso só demonstra que eles estão com medo. Na eleição passada eles receberam mais de R$ 3 milhões em multas. O Brasil precisa descobrir o que acontece de verdade em Petrolina”, Odacy.

Confira a decisão no link abaixo:

Decisão (3)

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.