Prefeito de Vitória representa Amupe em roda de conversa promovida pelo Ministério Público

By 05/10/2021 - 10:54Pernambuco

O prefeito Paulo Roberto, de Vitória de Santo Antão, representou a Associação Municipalista de Pernambuco (AMUPE) na roda de conversa promovida pelo Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Justiça de Defesa da Cidadania (Caop Cidadania). Com o tema “O relevante papel da Defesa Civil na prevenção de tragédias, apoio à sociedade e sobretudo, na arte de salvar vidas”, o encontro, que ocorreu de forma online e foi transmitido através do Youtube do Caop Cidadania, teve o objetivo de apontar ações a serem realizadas pelos gestores municipais e debater a importância da atuação do Ministério Público na prevenção dos desastres.

Um dos participantes do debate, o secretário-executivo da Defesa Civil de Pernambuco, o Tenente Coronel do Corpo de Bombeiros, Leonardo Rodrigues dos Santos, destacou a importância da participação da Amupe no evento. “O município é o principal ator entre os entes municipais, federais e estaduais, porque é nos municípios que acontecem os desastres e é lá que a população vai clamar por prevenção. Por isso, se faz tão necessária a atuação da Amupe”, pontua.

Junto com o prefeito Paulo Roberto, estavam na reunião o secretário de Serviços Públicos, Manoel Jorge, e representantes da Defesa Civil de Vitória. Durante o momento, os gestores vitorienses já discutiram medidas a serem implementadas para atuar na prevenção de desastres. No encontro, foi destacado que o ponto principal de trabalho da Defesa Civil não deve estar focado no trabalho de recuperação e reconstrução. Na verdade, o foco do ente deve estar nas áreas de prevenção e mitigação das tragédias, evitando que elas venham a ocorrer.

Na sua fala, o secretário da AMUPE e prefeito de Vitória, Paulo Roberto, colocou como compromisso da entidade a discussão com os gestores municipais para o fortalecimento da Defesa Civil nos municípios. “Trago essa representação que estou tendo aqui em nome do presidente da AMUPE, José Patriota. A AMUPE dá a orientação de que a Defesa Civil deve trabalhar com um programa de governo e não um programa de gestão”, coloca.

O debate foi mediado pela promotora de justiça coordenadora do Cao Cidadania, Dalva Cabral. Dele, ainda participaram a promotora de justiça de Quipapá, Ana Victória Schauffert, o promotor de justiça de Sanharó, Jefson Romaniuc, o promotor de justiça de Garanhuns, Domingos Sávio Agra, o coordenador de Proteção e Defesa Civil de Garanhuns, Thiago Amorim de Moura, e o coordenador de Defesa Civil de Caruaru, Kleber Aleksander.

Foto: LAYS Freitas/Divulgação PCVSA

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.