Prefeito João Campos apresenta iniciativas do Recife para combate da crise climática em painel do ICLEI

A capital pernambucana é destaque em ações que buscam um futuro mais sustentável, com compromissos firmados para minimizar impactos ambientais

Primeira cidade do Brasil a reconhecer a Emergência Climática, o Recife é referência em ações que buscam preservar o meio ambiente e promover a agenda da sustentabilidade. Nesta quinta-feira (30), o prefeito João Campos participou do painel “Liderança das cidades Urban-LEDS no combate à crise climática”, que marcou o fim do evento Urban-LEDS II no Brasil. Na ocasião, apresentou as principais iniciativas da gestão e defendeu a necessidade de lideranças fortes para a condução da pauta da sustentabilidade.

“A gente precisa fazer um reconhecimento do caminho que o Recife tem trilhado nos últimos oito anos, quando foi construída uma agenda nunca antes vista na nossa cidade na parte de emergências climáticas. Hoje temos um portfólio de ações, que nos ajudam a construir um caminho. Temos um inventário de emissão de gases do efeito estufa, uma política de enfrentamento e um Plano Local de Ação Climática (PLAC). Entramos na Aliança pela Ação Climática (ACA), aderimos ao Race To Zero e vamos poder consolidar ações normativas no nosso dia a dia”, ressaltou João Campos.

O prefeito destacou algumas principais ações que estão em curso na cidade, que atendem áreas como mobilidade urbana, urbanismo e meio ambiente. “A gente tem um plano robusto de incentivo da mobilidade ativa, expandindo mais de 100 quilômetros a malha cicloviária da cidade e de requalificação de passeios públicos, tornando-os acessíveis e garantindo que nas áreas de maior trafegabilidade de pessoas, os passeios sejam melhorados. Temos também um plano de eficientização energética dos prédios públicos, para melhorar o rendimento de energia e discutir fontes alternativas”, citou o gestor.

A Prefeitura do Recife inaugurou, em agosto, junto à Celpe e com apoio do ICLEI (Governos Locais pela Sustentabilidade), a usina solar fotovoltaica do Hospital da Mulher do Recife Dra. Mercês Pontes Cunha (HMR). A partir da fonte renovável de energia, serão gerados cerca de 40 GWh/mês, que permitem economia anual de aproximadamente R$ 240 mil à unidade municipal de saúde. Na cobertura do centro hospitalar, uma área de 1.580m², foram instalados 728 módulos de 440 kWp.

Agora, destacou João Campos, os planos são de expandir a iniciativa para outros prédios públicos. “Estamos aprofundando estudos, inclusive analisando a possibilidade de Parcerias Público-Privada (PPPs), para usar os telhados de equipamentos públicos, como escolas – que temos mais de 300 na nossa cidade – para fonte de geração fotovoltaica.”

Durante o evento, João Campos destacou ainda o desejo de transformar o Recife em uma cidade parque. “Temos um projeto muito denso, o Parque Capibaribe, um parque linear às margens do maior rio que corta a nossa cidade. São 15 quilômetros de cada lado, preservando a natureza e criando uma correlação entre ela e as pessoas”, explicou o gestor.

No painel, ao lado do prefeito, estava Geraldo Julio, presidente do Conselho Executivo Regional (RexCom) e ex-prefeito do Recife. O projeto Urban-LEDS é financiado pela Comissão Europeia e implementado pelo ICLEI. em parceria com a ONUHabitat. A primeira fase do Projeto foi implementada entre 2012 e 2016, quando foram selecionadas 37 cidades nos 4 países participantes: Brasil, África do Sul, Índia e Indonésia. No Brasil, foram contempladas oito cidades: Betim, Belo Horizonte, Curitiba, Fortaleza, Porto Alegre, Rio de Janeiro, Recife e Sorocaba.

O LEDS Lab é um laboratório de financiamento de projetos climáticos, lançado em 2019. Ele tem por objetivo aprimorar a capacidade instalada nas prefeituras para a elaboração de projetos financiáveis, considerando os aspectos de mitigação e adaptação à mudança do clima. No âmbito do LEDS Lab, foram desenvolvidos projetos piloto e idealizados Centros Educativos de Energias Renováveis e Mudança do Clima, executados ao longo de 2021. No Recife, o projeto que recebeu o apoio foi a usina solar fotovoltaica do Hospital da Mulher.

João Campos destacou a importância de iniciativas como essa e de lideranças engajadas com a transformação. “Qualquer iniciativa precisa de decisão e firmeza de condução das lideranças para efetivamente ter uma mudança construída. Aqui destaco três aspectos importantes. O primeiro é a capacidade de diálogo; precisamos construir consensos em torno de pautas que nos unam. O segundo é um combo de coragem e ousadia, para entregar o melhor, pensando nas próximas gerações. Por último, precisamos ouvir a ciência, o que dizem as evidências e aqueles que dedicam suas vidas a determinada área do conhecimento. Precisamos ter em mente esses compromissos para que a mudança que queremos seja efetivamente construída”, finalizou.

Foto: Rodolfo Loepert/PCR

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.