Prefeito pernambucano quer gastar R$ 1,3 milhão com comilança

By 12/11/2021 - 11:23Pernambuco

A pregação do “novo” parece estar ficando cada vez mais para trás no governo do prefeito Wellington da LW, em Arcoverde. A constatação disso é que foi realizada pela prefeitura de Arcoverde na última segunda-feira (08), através do Fundo Municipal de Assistência Social, licitação para o fornecimento de refeições, incluindo buffet americano, para atender diversas secretarias. Para isso, o prefeito Wellington da LW pretende gastar R$ 1.350.303,40 (Um milhão, trezentos e cinquenta mil, trezentos e três reais e quarenta centavos).

Segundo o objeto da licitação, vai ter boca livre para todos, pois a contração é para a “contratação de empresa do ramo de alimentação para fornecimento de (café da manhã, Coffe Break, Almoço tipo quentinha, Buffet (americano) Comida Regional mediante fornecimento de prontas, para atender as necessidades da Secretaria de Ação Social, Secretaria de Saúde, Secretaria de Educação e Diversas Secretarias da Prefeitura Municipal”. Uma vergonha!

Com esses recursos a prefeitura de Arcoverde poderia adquirir mais de 22 mil cestas básicas no valor de R$ 60 cada, e aplacar a fome de milhares de arcoverdenses que perderam seus empregos e passam necessidades nas periferias e pelas ruas da cidade como pedintes.

Sem nenhuma vergonha do processo licitatório em questão, a prefeitura vem insistindo nele, pois ainda no dia seis de outubro o governo do prefeito Wellington da LW tentou fazer a mesma licitação, mas ela fracassou por falta de licitantes, empresas interessadas na milionária licitação da comilança municipal.

Vamos ao cardápio. Somente com frutas fatiadas, rosquinhas, requeijão pães, presuntos, queijo muçarela e torradas, pretende-se gastar R$ 212 mil. Já com os sanduiches de muçarela e presunto, tortas e croissant de queijo ou frango vai mais R$ 542 mil. Em relação as quentinhas com dois tipos de carnes, purê, arroz, feijão, macarrão, aquelas que ficaram famosas nas campanhas, o governo LW está licitando o montante de R$ 386 mil. Mas pra não dizer que esqueceu as comidas regionais, o governo LW pretende gastar mais de R$ 187 mil com pamonha, munguzá, canjica, cuscuz, queijo de coalho e salsicha (?).

Para o Gabinete do Prefeito Wellington Maciel (MDB), e demais secretarias, a justificativa para a aquisição de refeições prontas – lanches / almoço, é para atender as necessidades de eventuais encontros, palestras ou reuniões, horas extras, etc. No meio de tudo isso, há a alimentação dos programas sociais que deve representar muito pouco; e dos plantonistas da Policlínica e da UPA Dia que não funcionam em regime de plantão.

Curiosidade: Ontem, durante a sessão extraordinária da Câmara de Vereadores, os seis vereadores que hoje votam com o Governo do prefeito Wellington da LW votaram contra projeto da casa legislativa que pretendia contratar empresa para fornecimento de lanches e refeições prontas para a Casa James Pacheco. Ou seja, será que bancada do governo que achou desnecessária tais refeições na Câmara vai contestar a comilança que o prefeito pretende fazer nas diversas secretarias, podendo gastar até R$ 1,3 milhão?

 

FONTE: Folha das Cidades

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.