Prefeitura pernambucana é alvo de operação policial contra lavagem de dinheiro

By 26/08/2021 - 09:15Pernambuco

O Ministério Público de Pernambuco (MPPE), através do Gaeco e Polícia Militar de Pernambuco (PMPE) deflagraram, na manhã de hoje (26), a operação Smurf, no Agreste de Pernambuco. A operação teve como alvo as cidades de Alagoinha, Pesqueira e Garanhuns. As equipes do Grupo de Atuação Especializada de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco/MPPE) e do BEPI/PMPE estão nas cidades cumprindo mandados de busca e apreensão em desfavor da Prefeitura de Alagoinha, empresas e servidores públicos.

O nome da operação vem do método conhecido como “smurfing”, que consiste na modalidade de lavagem de dinheiro em que o agente criminoso dissemina o recurso fracionados em diversas contas bancárias realizando em variados dias e locais para difundir os recursos e dificultar o rastreio.

Segundo o promotor Frederico Magalhães, coordenador do Grupo de Atuação Especializada de Combate ao Crime Organizado (GAECO) do Ministério Público do Estado de Pernambuco (MPPE), a investigação que foi iniciada em 2019, almeja colher documentos e equipamentos eletrônicos que possam contribuir com a investigação em desfavor de nove alvos distribuídos nos três municípios, sendo a base em Alagoinha. “A operação está sendo realizada em empresas, residências e prédios públicos visando solidar a investigação e trazer mais subsídios que possam confirmar a para a hipótese que está sendo apurada. A investigação ainda está em curso e não descartamos a possibilidade de novas atividades no momento futuro”, comentou o coordenador do Gaeco.

Foram apreendidos aparelhos celulares dos indivíduos alvo da operação, cheques, notebook, HDs e pendrives, CPU, documentos e dinheiro. Os investigados foram notificados para oitava a ser realizada nesta segunda-feira (30). O não comparecimento dos investigados poderá configurar crime de desobediência.

Na ocasião, duas pessoas foram conduzidas até a delegacia por portar arma de fogo de forma irregular.

1 Comcentário

  • MAURICELHO SEVERINO DA SILVA disse:

    Que proteção tão grande tem a cidade de Correntes que não há investigações? Contas rejeitadas pelo tribunal de contas.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.