Primeira etapa do Parque das Graças é entrega à população

FOTO: Rodolfo Loepert / PCR

Prefeito João Campos realizou a entrega da primeira etapa do equipamento nesta quarta-feira (29). Recifenses agora contam com contemplação e lazer, além do primeiro parque infantil da cidade totalmente voltado para a primeira infância

O final do ano chega com um grande presente para os recifenses. Nesta quarta-feira (29), o prefeito João Campos fez a entrega da primeira etapa do Parque da Graças, o mais novo espaço público ao ar livre da cidade. Localizado às margens do Rio Capibaribe, no bairro das Graças, entre as pontes da Torre e da Capunga, o trecho do parque linear entregue agora conta com passeios públicos, dois playgrounds, tirolesa, área para piquenique, bancos, paisagismo e via compartilhada, além de abrigar o primeiro parque infantil da cidade totalmente voltado para a primeira infância. Todo o projeto terá investimentos na ordem de R$ 43 milhões.

“Essa é a primeira etapa do Parque das Graças. Como a gente havia afirmado esse compromisso na semana do aniversário do Recife, começamos as obras e agora a gente entrega, dentro do prazo assumido, primeira etapa. Lembrando que todo o projeto contempla um quilômetro de extensão, com os demais trechos previstos para serem entregues até 2023, concluindo o Parque. O Parque das Graças é o coração do Parque Capibaribe”, afirmou João Campos na ocasião. O gestor municipal detalhou ainda a composição do Parque das Graças e a história do projeto do equipamento: “Aqui a gente conta de maneira imediata com uma grande área de parques infantis, sendo um trecho dedicado à Primeira Infância e outro para as crianças já maiores. A gente tem aqui espaço de contemplação, área de bancos, espaços para piquenique e para o lazer de famílias. Temos ainda a rota ciclável e um trecho para passar carro, conectando à Rui Barbosa”, continuou João Campos.

“Lembrando que pelo projeto original, não seria um parque e sim uma via para carros. Esse projeto foi remodelado, reconstruído ainda na gestão do prefeito Geraldo Julio, com a Universidade Federal de Pernambuco, com a Associação de Moradores das Graças, e conseguiram garantir um projeto muito melhor e mais moderno. E o Recife segue na direção de ser uma cidade-parque”, continuou. O equipamento, que tem projeto e execução realizados pela Prefeitura do Recife, por meio da Autarquia de Urbanização do Recife (URB), é um convite à contemplação do Rio Capibaribe, um dos grandes símbolos do Recife. O Parque começou a ser construído no dia do aniversário de 484 anos da capital pernambucana, em 12 de março deste ano, e faz parte do projeto Parque Capibaribe. A concepção do projeto executivo é fruto do diálogo com os moradores da área e especialistas da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e tem o objetivo de reconectar a população com o rio.

A etapa concluída começa na altura da Rua Amélia e segue até a Rua Manoel de Almeida, trazendo uma via de baixa velocidade compartilhada entre pedestres, ciclistas e veículos motorizados, elevadas ao nível das calçadas e com amplos passeios contínuos e acessíveis e áreas de convivência. O Parque das Graças também oferece para a população espaço de terra batida com tirolesa e duas áreas de convivência próximas à Ponte da Torre, com 120 m² e 431 m²  e bicicletário, além de espaço para piquenique com bancos e mesas. O equipamento tem ainda playground de 507 m², subdividido em duas áreas, uma para a primeira infância, de 204 m², e outra para os maiores de seis anos, com 303 m². Considerado um dos grandes destaques do equipamento, o parque voltado para a primeira infância é o primeiro deste tipo na cidade e dispõe de piso emborrachado (atóxico e com amortecimento contra impactos), brinquedo em mola, gangorra e monte escalador. Já o espaço para as crianças maiores de seis anos conta com pirâmide de escalada, três trampolins, casinha com escorregador e balanço para três lugares.

“Em nome dos moradores, da Associação das Graças, quero parabenizar a Prefeitura pela inauguração desta obra. É uma obra que é fruto de muita luta e empenho da comunidade. O projeto inicial tinha quatro faixas de rolamento, numa lógica carrocêntrica da cidade”, comentou Fernanda Costa, integrante da Associação de Moradores Por Amor às Graças. Lúcia Moura, que foi presidente da Associação Por Amor às Graças e faleceu de covid-19 neste ano, foi homenageada durante a inauguração por sua mobilização pelo Parque das Graças.  As cores do Colorindo o Recife, projeto capitaneado pela Secretaria Executiva de Inovação Urbana, chegaram para dar o tom e trazer mais vida e alegria ao espaço. Um grupo de dez artistas criou painéis com diferentes temáticas, transformando a área em uma grande galeria ao ar livre. Assinam as intervenções os artistas Tati Naara, Priscila Lins, Ranne Skull, Georgia Cardoso,  Felipe Lemos, Micaela, Galo de Souza, Raider, Bruna Alpoim e Luciano Ferreira.

TRÂNSITO – A partir da inauguração, os motoristas que estiverem na Rua das Graças poderão acessar a Rua Amélia, entrando na Rua Manoel de Almeida e seguindo pela Via Parque das Graças até a Ponte da Torre. 

PRÓXIMAS ETAPAS – As obras para conclusão das demais etapas do Parque das Graças, que tem extensão total de um quilômetro, seguem em andamento. O projeto completo prevê a implementação de um Parcão, próximo à rua Osvaldo Salsa, dois mirantes (perto da Rua Sebastião Leme e próximo à Ponte da Capunga), área de ginástica, áreas para piquenique e convivência, bicicletários, pergolados, píer flutuante, área de lazer com mesas, deck para quiosques e área de refúgio da fauna. Ao final, o local passará a contar com um total de 1.011m de rotas cicláveis.

Estão sendo construídas, ainda, duas passarelas paralelas à margem do rio a fim de viabilizar a continuidade do passeio em trechos onde não havia largura suficiente para passagem. A primeira delas ficará entre as ruas Aníbal Falcão e Manoel de Almeida e a segunda entre a Rua Dr. Osvaldo Salsa e a Rua das Pernambucanas. Além disso, estão previstas melhorias em uma área total de 750m em vias de acesso ao novo parque, sendo 200m da Rua Dom Sebastião Leme e mais 550m da Rua das Pernambucanas, o que resulta numa área total de 25.636m² de intervenção.

MEIO AMBIENTE – O Plano de Compensação Ambiental do Parque das Graças prevê o plantio de 551 indivíduos arbóreos, sendo 199 dentro da área do Parque e o restante em outras áreas públicas da cidade. Até agora, a Prefeitura do Recife já plantou 500 árvores em parques públicos da capital pernambucana e em bairros como Casa Forte, Espinheiro, Rosarinho, Boa Vista e Santo Amaro. Além disso, também foi realizado o plantio de 34 mudas dentro da área do próprio Parque das Graças. Com isso, a Prefeitura chegou ao número de 534 árvores, alcançando praticamente 100% do total prometido no plano de mitigação. Ao final da obra, serão plantados mais indivíduos do que o exigido.

PARQUE CAPIBARIBE – O Parque Capibaribe é um sistema de parques integrados no Recife que se estenderá por 30 km do percurso do Rio Capibaribe. Consiste na renaturalização das margens do rio e na implantação de um sistema de mobilidade com passeios e ciclovias, além de revelar paisagens locais com áreas de estar, passarelas e píeres para pequenas embarcações.

Todo o projeto beneficiará mais de 500 mil pessoas e 44 bairros. Já foram implantados o Jardim do Baobá, nas Graças, e a Praça Otávio de Freitas, no Derby. O parque estende-se desde a BR 101 até o centro do Recife. O projeto Parque Capibaribe está atualmente ligado à Secretaria de Desenvolvimento de Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (SDECTI) e é coordenado pelo Gabinete de Projetos Especiais (Gabpe) e foi desenvolvido pelo INCITI/UFPE.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.