Ranking Internacional aponta Recife como uma das melhores cidades do mundo para se investir

Consultoria Kearney destacou a capital pernambucana entre os 156 melhores destinos para atrair investimentos. Prefeitura vem implementando ações para melhorar o ambiente de negócios, aliado a um amplo processo de transformação digital

O Recife foi eleito, pelo segundo ano seguido, um dos 156 melhores destinos do mundo para atrair investimentos, de acordo com o ranking global da consultoria internacional Kearney. A capital pernambucana figura na 125ª posição no levantamento como principais destinos com potencial para reter negócios, pessoas e ideias, ao lado de grandes metrópoles mundialmente conhecidas, como Nova Iorque, Londres, Paris, Pequim e Tóquio. Além do Recife, outras cinco capitais brasileiras figuram no estudo: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre e Salvador. O resultado é divulgado em meio a um amplo processo de transformação digital que a Prefeitura do Recife vem colocando em prática, com a implementação de processos para desburocratizar e melhorar o ambiente de negócios no município.

“O resultado do ranking da consultoria Kearney corrobora o trabalho que a gestão do prefeito João Campos vem realizando, no sentido de desburocratizar processos e melhorar o ambiente para tornar o Recife cada vez mais atrativo para os investidores. Isso significa geração de emprego para toda a população, impactando diretamente na melhora da renda das pessoas”, destaca o secretário de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação, Rafael Dubeux.

O levantamento da consultoria Kearney leva em consideração 29 indicadores, divididos em cinco temas com diferentes pesos: volume de negócios (30%), capital humano (30%), troca de informações (15%), experiência cultural (15%) e engajamento político (10%). O ranking considera ainda outros parâmetros que avaliam as cidades que têm maior potencial para atuarem como a próxima geração de centros globais de negócios.

Desde o início do ano, a Prefeitura do Recife vem estruturando um amplo programa de transformação digital da gestão municipal, facilitando o acesso a serviços públicos e desburocratizando processos. Um exemplo foi a ampliação da plataforma Conecta Recife, tornando-o um hub de serviços municipais. Através desta aplicação, por exemplo, a população pode agendar o dia, local e horário para receber as doses da vacina contra a covid-19, sem necessitar enfrentar longas filas como vistas em diversas capitais brasileiras, tornando referência nacional o modelo recifense.

Em parceria com a Junta Comercial de Pernambuco (Jucepe), a Prefeitura do Recife aderiu ao Balcão Único, serviço que vai reduzir a burocracia e o tempo para registro de empresas, digitalizando e simplificando processos. Para se ter uma ideia, com o serviço, os empreendedores levarão até duas horas para registrar um novo negócio, ante as quase 35 horas anteriormente. A gestão municipal também está em fase de conclusão para criar a Investe Recife, que consiste em um time de especialistas dedicados em prospectar novos investimentos e/ou auxiliar a expansão dos negócios já existentes na capital pernambucana. A Investe vai disponibilizar informações técnicas, estratégicas e estudos, apoiar a formação de mão-de-obra, integrar os negócios com institutos de pesquisa, auxiliar na localização dos empreendimentos e na identificação de políticas fiscais existentes, entre outras atribuições.

A gestão municipal também digitalizou todos os serviços oferecidos pela Secretaria de Finanças (SEFIN), apresentando novas formas de se relacionar com o contribuinte, conferindo um jeito ainda mais moderno, rápido e seguro de lidar com a prefeitura. Por outro lado, a Prefeitura vem estruturando uma ampla carteira de Parcerias Público-Privada (PPP) e de concessões com a iniciativa privada, por meio do programa Recife Parcerias. A expectativa é captar mais de R$ 1 bilhão em investimentos até 2024, gerando emprego e renda na cidade.

OUTRAS CAPITAIS BRASILEIRAS – No ranking da consultoria Kearney, outras cinco capitais brasileiras apareceram. São Paulo, a maior capital brasileira, figurou na 40ª posição neste ano, ante a 42ª colocação de um ano atrás. O Rio de Janeiro surge em 76° lugar – antes ocupou a 72ª colocação no ano passado -, sendo a segunda cidade brasileira mais promissora do ranking. Belo Horizonte cresceu nove posições, passando da 113ª para a 104ª posição. Porto Alegre, que em 2020 estava no 116.º lugar, também subiu e este ano aparece na 108ª colocação. Salvador ficou na 124ª posição.

Foto: Marcos Pastich / PCR

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.