Reajuste de salários de prefeitos e secretários de Arcoverde repercutem na mídia

By 04/01/2022 - 23:25Sertão do Moxotó

Uma reportagem do G1 Caruaru e Região e que ganhou as telas do ABTV 2, às 19h desta terça-feira (04), sobre o aumento salarial do prefeito de Arcoverde (Wellington Maciel), do vice-prefeito (Israel Rubis) e dos secretários municipais vem repercutindo em dezenas de blogs do estado e até de estados vizinhos (Paraíba). O salário do prefeito passou de R$ 18 mil para R$ 27 mil. Já o do vice saiu de R$ 9 mil para R$ 13,5 mil e o de secretários foi elevado de R$ 6 mil para R$ 9 mil.

Na matéria o repórter não questiona a legalidade do ato, acobertado pela lei que alterou a Lei Orgânica aprovada no final do ano passado e que permitiu o aumento salarial da ordem de 50%.

“Os subsídios de que trata o presente artigo constituem parcela única, sendo vedado o acréscimo de qualquer gratificação, adicional, abono, prêmio, verba de representação ou outra espécie remuneratória”, conforme consta no decreto, que passou a valer no dia 1º de janeiro deste ano.

Segundo a mesma matéria do G1, o salário do prefeito de Arcoverde será maior do que os gestores de 21 capitais do país, de acordo com levantamento do próprio portal de notícias. O prefeito do Recife, por exemplo, recebe R$ 25 mil, enquanto o de João Pessoa, na Paraíba, ganha R$ 22 mil. O prefeito de Arcoverde só fica atrás dos prefeitos de Goiânia – GO (R$ 27.073,64), Cuiabá – MT (R$ 27.500,00), Florianópolis – SC (R$ 27.740,11), Curitiba – PR (R$ 28.358,78) e Belo Horizonte – MG (R$ 31.061,47).

Durante o vídeo da reportagem que circular feito o “raio da cilibrina” pelos grupos de WhatsApp, o jornalista da TV Asa Branca/Globo diz que conversou por telefone com o diretor de comunicação do município para tentar um posicionamento do prefeito do município, mas ele informou que ainda não havia conversado com o gestor municipal.

Em nota, o vice-prefeito Israel Rubis disse que o reajuste não o alcança, pois ao assumir o mandato optou “pela remuneração do cargo efetivo do Estado de Pernambuco, de Delegado de Polícia, no qual fui investido através de concurso público, conforme previsão legal contida no Estatuto dos Servidores Públicos Civis do Estado de Pernambuco, nos termos dos documentos em anexo. Não acumulo salários, nem nunca acumulei, seja de Vice-Prefeito, ou de Secretário Municipal, na época em que estive na pasta”.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.