Recife: Vereadora Ana Lúcia propõe criação de campanha de prevenção ao suicídio

Tramita, na câmara do Recife, um projeto de lei que institui uma campanha de prevenção à automutilação e ao suicídio. A proposta é de autoria da vereadora Ana Lúcia (Republicanos).
“Estamos vivendo dias de muita incerteza, em meio à uma crise de saúde que se soma às crises econômica e política. Somos o país onde, de acordo com o Ministério da Saúde, acontece um suicídio a cada 46 minutos, e cerca de 12 mil pessoas tiram suas vidas por ano. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, em muitos casos, o suicídio está relacionado a transtornos mentais, mas a OMS também diz que esse ato tem prevenção em 90% dos casos, e essa é nossa intenção com essa proposta, evitar o suicídio e a automutilação em nossa cidade.” Pontuou a vereadora.

De acordo com o proposto no projeto, A Campanha “Pare! Não faça mal a você!”, que deverá ser realizada anualmente no mês de setembro, consistirá na implementação de ações diversas de divulgação das temáticas de automutilação e do suicídio nos órgãos que integram o Munícipio.

A campanha terá, entre outros objetivos, promover a saúde mental, promover a educação permanente de gestores e de

profissionais de saúde e educação em todos os níveis de atenção quanto ao sofrimento psíquico e às lesões autoprovocadas, ampliar divulgação quanto ao sofrimento psíquico, com cartazes citando eventuais sintomas e alertando para possível diagnóstico, principalmente por intermédio dos meios de comunicação acessíveis à população, direcionar atividades e apoio para o público-alvo da campanha, especialmente os mais vulneráveis, monitorar possíveis casos para avaliação e cuidado, promovendo a interdisciplinaridade entre os profissionais que irão atuar no segmento, promover palestras, que deverão ser direcionadas aos profissionais de saúde e educação, visando identificar possíveis pacientes que se enquadrem no perfil, e realizar exposição com cartazes citando eventuais sintomas, alertando para possível diagnóstico e aumentando o acesso público às informações sobre todos os aspectos da prevenção de comportamento suicida.

“Não temos como evitar as consequências da pandemia e de todos os acontecimentos que continuam impactando negativamente a saúde mental da nossa população, mas podemos agir de maneira preventiva, evitando o adoecimento de outras pessoas, e também a ocorrência de suicídios.” Finalizou Ana Lúcia.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.