Recreadores e arteducadores levam atividades lúdicas para crianças abrigadas em escolas da Rede Municipal do Recife

Foto: Dondinho/ PCR

Contação de histórias, oficinas de origami, desenho e pintura fazem parte da programação

A chuva torrencial que caiu sobre Pernambuco na última semana desabrigou e mudou a rotina de muitas famílias recifenses. São pais, mães, avós, tias, tios e, principalmente, crianças que estão tendo dias difíceis e completamente diferentes do que estavam acostumados. Fora de suas casas, precisam se apegar à esperança de dias melhores e à motivos para reencontrar o sorriso no rosto. Pensando em dar um empurrãozinho na tentativa de diminuir a tristeza, a Secretaria de Educação do Recife, por meio da Secretaria Executiva de Primeira Infância, enviou para as escolas municipais da cidade que estão servindo como abrigos temporários alguns recreadores e arteducadores para entreter e levar um pouco de alegria para os jovens e crianças presentes.

A programação é dividida em dois turnos, sendo realizada pela manhã e também na parte da tarde. Atualmente a ação está sendo realizada em 17 unidades de ensino da Rede Municipal do Recife e conta com oficinas de origami, desenho, pintura e contação de histórias. 

“É muito bom a gente ter esse apoio dentro das escolas. Permite até que a gente esfrie um pouco a cabeça e esqueça um pouquinho de tudo o que está acontecendo. É um momento também de animação para as nossas crianças, que muitas vezes nem entendem direito o que passamos. Em dois dias de ação, já percebi a diferença neles. Estão mais calmos e mais tranquilos”, destacou Sirleide Maria. A recifense está no abrigo localizado na Escola Municipal Célia Arraes, na Várzea, desde a última sexta-feira (27). Ela está acompanhada dos seus quatro filhos, com idades entre 6 e 12 anos.

Gestora da unidade há quase nove anos, Ana Beatriz da Silva está atuando na linha de frente, cuidando dos desabrigados e ajudando na recepção e distribuição de todas as doações que chegam até a escola. Ela também reforça a importância dessas ações de intervenção artística e lúdica com as crianças presentes na escola. “Já estávamos planejando algum tipo de atividade e, graças a Deus, isso foi proporcionado para nós. Acaba sendo um descanso para todos, porque a preocupação com aquelas crianças no momento das atividades diminui. Os pais também usam esse tempo livre para descansar e organizar suas coisas. Sem falar da importância nesse momento de ações como essa para o lado socioemocional dos pequenos”, reforçou. 

“A gente está tentando proporcionar um pouco de alegria nesse momento tão difícil para essas crianças e famílias. Essas crianças já perderam tanta coisa, mas não podem perder o direito de brincar, e nós estamos fazendo de tudo para assegurar isso, fazendo com que eles tenham momentos de ludicidade e alegria. Torcemos para que isso traga esperança de dias melhores”, complementou Luciana Lima, secretária executiva de Primeira Infância do Recife.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.