São Lourenço da Mata: profissionais de saúde perseguidos por Bruno Pereira declaram apoio ao pré-candidato a prefeito Vinicius Labanca e ao vereador Leonardo Barbosa

Com mandato marcado pelo combate das irregularidades do prefeito Bruno Pereira contra os Agentes Comunitários de Saúde (ACS) e Agentes de Combate às Endemias (ACE), o vereador Leonardo Barbosa (PSB) recebeu o apoio de grande grupo de profissionais da categoria em reunião na última sexta-feira (3).

Segundo a ACS Laudiene Maria, não existe outro político que tenha lutado tanto em favor da categoria como Leonardo. “Passamos por muita coisa durante esse desgoverno de Bruno Pereira e ele foi o único que abraçou nossa causa e lutou junto conosco. Tiveram dias que ficávamos em frente ao Ministério Público aguardando a promotora e Leonardo estava lá conosco, debaixo de sol e comendo pipoca com água”, disse a Agente.

Já para o ACE Ibrahim Almeida, o apoio a Leonardo dá aos Agentes a certeza de que a categoria continuará sendo valorizada e bem tratada pelo Poder Público. “Estávamos sendo humilhados e maltratados pela atual gestão. Junto ao Sindicato Metropolitano dos Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Combate às Endemias (SIMCACE), Leonardo denunciou as irregularidades e conseguimos a vitória na justiça. Seremos eternamente gratos a ele por tudo que fez por nós”, declarou Ibrahim.

O recente exemplo de perseguição sofrida pelos Agentes é o incentivo adicional que recebem anualmente. O montante está na conta da prefeitura desde dezembro de 2019 e deve ser pago de forma única. Até setembro de 2020, só foi pago uma parcela do ano anterior e não há previsão para o pagamento restante.

ENTENDA O CASO

Em fevereiro 2017, o prefeito Bruno Pereira demitiu 84 profissionais entre ACS’s e ACE’s, alegando a necessidade de oxigenar o quadro de profissionais da Vigilância em Saúde e da Atenção Básica, contrariando a Lei Municipal 2227/2008 que determina que os profissionais enquadrados devem permanecer no cargo até a criação de uma Seleção Publica.

Em denúncia ao Ministério Público de Pernambuco (MPPE), foi constatado que a demissão foi irregular e Bruno Pereira foi orientado a reintegrar os Agentes de forma imediata. Apesar da determinação, não houve reintegração e o prefeito foi afastado do mandato após ser alvo da Operação Tupinambá, em setembro, sem cumprir a recomendação.

O vice-prefeito Dr. Gabriel Neto assumiu a prefeitura de forma interina e, em outubro, seguiu a determinação judicial da Vara Cível de São Lourenço da Mata e baixou a Portaria nº 036/2017 autorizando os agentes a retornarem aos seus postos de trabalho.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.