São Lourenço da Mata: Sindicato acusa Bruno Pereira de aproveitar pandemia para não pagar piso dos professores e deixar contratados sem salários

prefeito-sao-lourenco

A guerra entre professores e a gestão municipal não tem fim em São Lourenço da Mata, na Região Metropolitana do Recife. Em um áudio que circula na internet, o Sindicato dos Professores (SINDUPROM) acusa o prefeito Bruno Pereira de se aproveitar do período de pandemia para não cumprir a lei do piso nacional da categoria.

No áudio, que tem dois minutos e quatorze segundos de duração, o sindicato afirma que o prefeito além de não cumprir com o pagamento do piso salarial aos professores efetivos e aposentados, não teria efetuado o pagamento dos contratados nos meses de abril e maio, reduzindo o valor dos vencimentos dos mesmos em junho e julho. 

Sem receber maio e abril e com um corte significativo nos meses seguintes, os contratados estariam passando por muitas dificuldades, uma vez impedidos de solicitar o auxílio emergencial do governo federal por causa do vínculo empregatício com a prefeitura.

A categoria afirma ainda que há três meses a prefeitura não realiza a entrega dos kits alimentação, não providenciou um calendário de pagamento para a educação, não ajustou um sistema para as aulas remotas, além de faltar transparência quanto aos recursos da Covid-19.

Não é de hoje que o prefeito Bruno Pereira vem sendo acusado de não cumprir a lei do piso salarial e de adotar medidas prejudiciais aos professores do município. No último mês de abril, a Juíza Marinês Marques Viana, da 1ª Vara Cível de São Lourenço da Mata, deu 72 para o gestor explicar porque teria cortado mais de 50% dos vencimentos de servidores, incluindo profissionais da educação, cujos salários são pagos com recursos carimbados do FUNDEB e não com recursos próprios do município.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.