TCE-PE homologa Auto de Infração contra João Camelo, ex-prefeito de Casinhas

João Camelo é acusado de descumprir exigências na coleta de resíduos sólidos

Em sessão realizada na última terça-feira (13), a Primeira Câmara do TCE homologou Autos de Infração contra o prefeito de Itapetim, Adelmo Alves de Moura e o ex-prefeito de Casinhas, João Barbosa Camelo Neto, pela não apresentação de plano para a adequação da destinação e eliminação dos resíduos sólidos urbanos nos chamados “lixões”, previsto na Resolução TC nº 17/2013.

O relator dos processos, conselheiro Ranilson Ramos, destacou em seu voto que o descumprimento à resolução do TCE foi identificado por meio de uma auditoria da Casa. As prefeituras não só deixaram de encaminhar o plano de ação previsto, como também não apresentaram justificativa plausível pelo não envio das informações.

O conselheiro ressaltou ainda que os dados solicitados são imprescindíveis para o devido planejamento dos trabalhos de auditoria do TCE. “Tal situação prejudica o exercício do controle externo, a cargo do Tribunal de Contas do Estado, configurando desrespeito ao que prescreve o art. 69 da Lei Estadual Nº 12.600/2004”, diz o voto.

“Além disso, ao depositar os resíduos de forma inadequada, a Administração Municipal está renunciando à receita proveniente de parcela do ICMS socioambiental”, completou.O ex-prefeito de Casinhas (processo n° 2057788-6) e o atual prefeito de Itapetim (n° 2057876-3) foram multados no valor de R$ 26.271,00, que corresponde ao percentual de 30% do limite legal vigente em março de 2021.

Os votos foram aprovados por unanimidade. Representou o Ministério Público de Contas na sessão a procuradora Maria Nilda.

BOM CONSELHO E LAGOA DO CARRO – Em sessão realizada no último dia 30 de março, a Primeira Câmara homologou também dois Autos de Infração lavrados contra a prefeita de Lagoa do Carro (Processo TC nº 2057769-2) e o ex-prefeito de Bom Conselho (Processo TC nº 2057973-1) por igualmente descumprirem decisões do TCE sobre o envio do plano de ação para adequação da destinação dos resíduos sólidos urbanos. O relator foi o conselheiro Valdecir Pascoal.

De acordo com o relator, o depósito inadequado de resíduos sólidos traz graves danos ao meio ambiente e é tipificado como crime ambiental, além de caracterizar renúncia de receita por parte do município.

No caso de Lagoa do Carro, o Auto de Infração, lavrado pelo conselheiro Carlos Porto em 16 de novembro do ano passado, levou em conta que a prefeita Judite Maria Botafogo Santana da Silva não cumpriu artigo da Resolução TC nº 17/2013 e do Acórdão TC nº 390/19 (Processo TC nº 1857815-2), publicado no Diário Oficial Eletrônico do TCE no dia 12 de abril de 2019. O Acórdão estabeleceu o dia 30 de julho de 2019 como data-limite para que o município elaborasse e apresentasse o documento, deixando de depositar os resíduos urbanos em “lixões”.

A prefeitura não atendeu o prazo, nem justificou o não encaminhamento.O Auto de Infração de Bom Conselho, lavrado em 16/11/2020 pelo conselheiro Carlos Neves, baseou-se no descumprimento do ex-prefeito Dannilo Cavalcante Vieira não somente à Resolução TC nº 17/2013, mas também ao Acórdão TC nº 1.080/19 (Processo TC nº 1857906-1), publicado em 21 de agosto de 2019, que concedeu 90 dias ao gestor para apresentação do Plano de Ação. O prefeito também não apresentou justificativa para o não envio ao TCE.

Com a lavratura dos Autos de Infração, os prefeitos tiveram cinco dias para apresentar defesa, mas não o fizeram.Em seus votos, o conselheiro Valdecir Pascoal imputou ainda uma multa individual de R$ 26.271,00.

Os votos foram aprovados por unanimidade. Representou o MPCO na sessão a procuradora Eliana Lapenda.

DETERMINAÇÃO – Em todos os votos foi determinado aos atuais gestores que no prazo máximo de 60 dias, sob pena de nova multa, seja elaborado e encaminhado ao Tribunal de Contas o plano de ação visando à adequação da destinação dos resíduos sólidos urbanos nos chamados “lixões”. O Núcleo de Engenharia do TCE acompanhará o cumprimento das determinações.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.