Tribunal Superior Eleitoral mantém cassação de Thiago Nunes e determina eleição indireta em Agrestina

Blog do Silvinho

O Ministro do Tribunal Superior Eleitoral, Tarcisio Vieira, manteve a decisão do TRE-PE que decidiu pela cassação da chapa Thiago Nunes e Zito da Barra. Ainda na decisão o ministro determinou que a cidade continuasse com a eleição indireta até que a população escolha seu novo prefeito ou prefeita em 15 de novembro.

Entenda o caso

O Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco (TRE-PE) acolheu parcialmente um recurso do Ministério Público Eleitoral (MPE) e reconheceu a prática de abuso de poder político cometida pelo prefeito e vice-prefeito de Agrestina, Thiago Lucena Nunes e José Pedro da Silva, respectivamente.

Com a decisão do Pleno do TRE-PE, tomada nesta quinta-feira (4/6) via videoconferência, os diplomas de ambos serão cassados e a Câmara de Vereadores terá de realizar uma eleição indireta para escolha de prefeito e vice-prefeito do município.

Thiago Nunes e José Pedro da Silva também ficarão inelegíveis até 2024. Eles foram condenados por contratar funcionários ilegalmente em 2016, ano em que se reelegeram prefeito e vice-prefeito.

Assim que o acórdão (decisão tomada pelo Pleno) for publicado, o TRE-PE vai comunicar oficialmente a Câmara de Vereadores para que a instituição tome as medidas necessárias para realizar a eleição. Os que forem eleitos indiretamente na eleição vão apenas concluir o mandato daqueles que foram cassados.

A relatoria do processo no TRE-PE coube ao vice-presidente e corregedor, desembargador Carlos Moraes. Todo o Pleno acompanhou o voto do relator.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.