Vereadora Ana Lúcia debate enfrentamento às consequências das mudanças climáticas no Recife


A Câmara do Recife realizou nessa quinta-feira, 11, uma reunião pública para debater as ações de enfrentamento às consequências das mudanças climáticas na cidade. A iniciativa foi da vereadora Ana Lúcia (Republicanos).

Durante o debate, foram destacadas ações já realizadas pelo governo do estado, como o monitoramento de queimadas e metas de redução de lixões, foram apresentadas as Etapas do Plano de Adaptação Setorial para o enfrentamento às consequências das mudanças climáticas, que será executado pela Agência Recife de Inovação e Estratégia, AIRES, em parceria com a Secretaria do Meio Ambiente e Sustentabilidade. A necessidade da educação ambiental e da conscientização da população sobre o tema também foram apontadas como necessidades urgentes.

Para contribuir nas medidas de mitigação de danos, foi citada a importância da obtenção de dados sobre fenômenos climáticos para que seja possível agir de forma preventiva, a criação de uma rede envolvendo universidades e institutos de pesquisa, e foram detalhadas ações que já estão sendo realizadas pela prefeitura da cidade, como a inclusão do tema emergência climática nas grades da Educação básica a partir de 2023, ação que, de acordo com a SMAS, Recife já adota desde 2019.

 

Durante a reunião. o representante da Unicef, Raul Andres, relatou que a organização está trabalhando em uma agenda que terá como objetivo o incentivo para que crianças e adolescentes se tornem protagonistas em iniciativas que tratarão das mudanças climáticas e preservação do meio ambiente.

A vereadora Ana Lúcia falou sobre um projeto de lei de sua autoria, que a propõe a criação da semana de conscientização sobre as mudanças climáticas, que tem, entre suas metas, promover a conscientização quanto à essas mudanças, principalmente quanto aos impactos na cidade do Recife.

Participaram da discussão Luiz Roberto de Oliveira, Gestor de Articulações Institucionais da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Recife, Christiane Roberta, Coordenadora do Centro de Apoio Operacional à Promotoria do Meio Ambiente, Patrice Oliveira, Gerente de Meteorologia e Mudanças Climáticas na Agência Pernambucana de Águas e Clima- APAC, Mariana Pontes, Diretora de Projetos na Agência Recife de Inovação e Estratégia- ARIES, Raul Andres Avilla, Mestre em Engenharia Ambiental, Especialista no Setor de Água e Saneamento em contextos humanitários, e Jean Diniz, Professor e Presidente da Comissão de Sustentabilidade da Academia Brasileira de Ciências Criminais.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.