Cabo participa do Agosto Lilás com atividades educativas contra a violência de gênero

Em parceria com o Porto de Suape, a Prefeitura do Cabo, através da Secretaria Executiva da Mulher, promoveu nesta quinta-feira (13) uma roda de conversa com moradores do Habitacional Nova Vila Claudete, localizado no Cabo de Santo Agostinho. Na pauta, os avanços e desafios da lei e a importância de se denunciar as ocorrências de violência de gênero.

A parceria envolverá novos encontros nos próximos dias. O desta quinta-feira (12) ocorreu no Centro de Educação Infantil (CEI), situado nas proximidades do Centro de Referência da Assistência Social (Cras) Vila Claudete/Quadra 27.

Convidadas para liderar os dois encontros educativos estão a secretária da Mulher do Cabo de Santo Agostinho, Walkíria Alves; a advogada e coordenadora dos Centros de Proteção à Mulher, Luanny Porto; e a delegada da 14ª Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam), Maria do Socorro Veloso.

“Na ação social vamos falar da importância da denúncia e sobre o apoio que essas mulheres necessitam. A proteção é tarefa de todos nós da sociedade que precisa de conscientização”, diz a secretária da Mulher do Cabo de Santo Agostinho, Walkiria Alves.

“Não poderíamos deixar de trabalhar esta temática, a violência doméstica é realidade no mundo e queremos, com essa ação, refletir junto à comunidade sobre esse tema tão latente. Essa é uma problemática que toda a sociedade deve enfrentar”, afirma a coordenadora de Assistência Social da Diretoria de Gestão Fundiária e Patrimônio de Suape, Líbia Paixão.

AGOSTO LILÁS
Em 7 de agosto de 2006 a Lei nº 11.340, conhecida como Lei Maria da Penha, entrou em vigor. Essa lei surgiu da iniciativa popular e recebeu esse nome como forma de homenagear Maria da Penha Maia Fernandes, autora do livro “Sobrevivi, posso contar”, obra em que ela descreve as violências domésticas que sofreu e como o seu passou incólume pelo julgamento da Justiça. O livro inspirou as mudanças na lei brasileira.

Violentar mulheres no Brasil é crime. A agressão cometida por marido, namorado, pai, irmão ou qualquer homem que tenha convívio com a vítima pode ocorrer nas mais diversas formas – física, moral, sexual, patrimonial e psicológica – e deve ser enfrentada.

Como medida paliativa e eficiente na defesa da mulher, a Lei Maria da Penha já reduziu e puniu milhares dos autores de crimes de violência contra a mulher. Ainda há muitos atos desses crimes no País.

AGENDA – AGOSTO MULHER

  • PAPO DE MULHER – Palestra na Associação do Engenho Arariba.
    Dia 16/08 – 14h
  • 15 ANOS – PERNAMBUCO E A LEI MARIA DA PENHA – Palestra Maria da Penha
    Dia 17/08 – 14h – Ponte dos Carvalhos
  • RODA DE DIÁLOGO – Palestra “O silêncio não protege!”
    Dia 19/08 – 15h – Vila Claudete – Parceria com Suape.
  • 15 ANOS – PERNAMBUCO E A LEI MARIA DA PENHA – Evento principal
    Dia 23/08 – 16h – Praça da Estação (Centro do Cabo)
  • 15 ANOS – PERNAMBUCO E A LEI MARIA DA PENHA – Palestra Maria da Penha
    Dia 24/08 – 14h – Engenho Mercês
  • 15 ANOS – PERNAMBUCO E A LEI MARIA DA PENHA – Palestra Maria da Penha
    Dia 25/08 – 14h – Bairro da Charneca
  • CAMINHADA COMBATE A VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER – Parceria Suape
    Dia 26/08 – 09h – Vila Claudete
    -15 ANOS – PERNAMBUCO E A LEI MARIA DA PENHA – Palestra Maria da Penha
    Dia 30/08 – 14h – Gaibu
  • ENCERRAMENTO – EVENTO “VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER TAMBÉM É PROBLEMA NOSSO!” – Autoridades masculinas do município discutindo a Lei.
    Dia 31/08 – 14h – No CAM I (Sede da Prefeitura).

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.