Denúncia grave em Cabrobó: MP chama Polícia Federal para investigar suposta compra de votos do candidato do Avante Galego de Nanai

O promotor de Justiça da Comarca de Cabrobó, Luiz Marcelo da Fonseca Filho, requisitou ao delegado da Polícia Federal em Salgueiro a realização de diligências para apurar a suposta compra de votos por parte do candidato a prefeito Galego de Nanai (Avante) que, segundo denúncias, estaria trocando votos de eleitores por sacos de cimento.

O fato configura delito de corrupção eleitoral, previsto no artigo 299 do Código Eleitoral. As denúncias foram encaminhadas ao Ministério Público de Cabrobó, acompanhadas de vasto acervo de provas materiais, como vídeos, fotografias e áudios comprometedores.

Num dos áudios entregues ao MP, o candidato a vereador do AVANTE Ítalo Barros avisa num grupo sobre como será a entrega dos sacos de cimento. “Localize o eleitor e diga a ele que (o cimento) está lá guardado, e que vá pegar só após a eleição, para evitar constrangimento, pois o pessoal está ainda lá acampado em frente ao galpão”, disse o candidato.

Segundo o Ministério Público “as fotos e vídeos mostram a oferta de materiais de construção em troca de votos, notadamente de sacos de cimento depositados em galpão localizado no bairro Subestação, próximo à estação da Celpe, de propriedade de Inaldo Simões, tio do candidato a vice-prefeito Lucas Novaes, pela chapa AVANTE CABROBO, encabeçada pelo candidato Galego de Nanai, tornando necessária a deflagração de diligências investigatórias para averiguar a ocorrência da prática do ilícito penal eleitoral.”

Os vídeos e fotos encaminhados ao MP e agora em poder da Polícia Federal mostram pessoas em veículos pegando sacos de cimento de dentro do galpão. As ações foram flagradas por populares que passavam no local, levando um grupo de pessoas a vigiar o local para evitar a prática da entrega do material. Desde a descoberta, o grupo de “vigilantes” permanece em frente ao galpão, que de agora em diante será objeto de investigação da Polícia Federal.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.